EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

15 de Dezembro de 2018

Resenha Esportiva

Espaço mantido pelos jornalistas Heitor Ornelas, Régis Querino, Alexandre Fernandes e Bruno Gutierrez. O quarteto traz informações e comentários sobre o Santos Futebol Clube e tudo mais que acontece no mundo do futebol.

Eles vão voltar em 2019

Lista de emprestados do Santos vai de David Braz a Leandro Donizete

O Santos tem uma lista de jogadores emprestados que retornam em 2019. Alguns, já no ínicio da temporada. Outros, no meio do ano. Mas, pela relação de atletas e o histórico dos mesmos no Peixe, é difícil que eles permaneçam no elenco para o próximo ano. E, se permanecerem, terão que se esforçar muito para convencer o torcedor e a diretoria santista.

A maioria desses atletas estão no setor defensivo. A lateral-direita tem a volta de Matheus Ribeiro. O jogador de 25 anos passou pelo Puebla (México) e Figueirense em 2018, mas sem muito brilho. Atuou em 12 partidas, sendo sete no Brasil e outras cinco no México. Não atua desde 4 de setembro, no empate entre Fortaleza e Figueirense, pela Série B. Na Vila Belmiro, não teve destaque. Nove jogos em 2017, que não animaram o torcedor, mesmo após uma boa Série B pelo Atlético-GO. Com contrato até o final de 2020, deve ser moeda de troca ou emprestado.

A lateral-esquerda tem os retornos de Orinho e Romário. O primeiro, 23 anos, tem contrato até maio de 2019. A última chance, se ficar, será no Campeonato Paulista. Já o segundo, 26 anos, contratado ainda na gestão Modesto Roma, com vínculo até o final de 2022, disputou duas partidas pelo Santos. O suficiente para a diretoria desistir do investimento e emprestar (devolver) o atleta ao Ceará, e depois, ao Guarani. Assim como Matheus Ribeiro, não devem ser aproveitados.

A zaga, que sofreu no final da temporada com a falta de opções, é o setor que mais se "reforça" em 2019. São três atletas, sendo que dois se apresentam ao clube em janeiro. Fabián Noguera, 25 anos, está no Estudiantes, onde disputou 17 jogos e marcou dois gols. Se a diretoria quiser economizar, pode manter o atleta, que possui contrato até o final de 2021.

Em situação semelhante se encontra Cléber Reis. O jogador de 28 anos tem vínculo com o Peixe até janeiro de 2022. Após se destacar no Corinthians e passar pelo futebol alemão, chegou ao Santos como "solução" para a defesa, em 2017. No entanto, problemas físicos atrapalham a permanência do atleta, que atuou por Coritiba e Paraná. Também volta com a esperança de vestir a camisa do clube.

No meio da temporada de 2019, o Alvinegro terá o retorno do ex-capitão David Braz. Aos 31 anos, o zagueiro está emprestado ao Sivasspor, da Turquia. Quando Cuca entrou por uma porta, ele saiu pela outra na Vila Belmiro. Com a mudança de técnico, pode ser que fique no clube. Mas o clima é de indecisão, já que seu contrato encerra no fim da próxima temporada.

Meio e ataque

Nos dois setores juntos são quatro atletas para o próximo ano. No entanto, a lista dos que não serão aproveitados deve aumentar. Ao começar por Leandro Donizete. O volante, contratado ainda na passagem de Dorival Júnior, está com 36 anos e tem contrato até o final de 2019. Quando atuou com a camisa santista, foi constantemente alvo de críticas pelos torcedores. Especialmente, no jogo da eliminação da Copa Libertadores, em 2017, contra o Barcelona-EQU, na Vila Belmiro. O alto salário também é outro entrave para a permanência do alteta, que disputou o Campeonato Brasileiro pelo rebaixado América-MG.

Na armação são duas opções. Rafael Longuine, que veio do Audax, tem vínculo até o final de 2021. Com 28 anos, atuou em 34 jogos e marcou 10 gols pelo Guarani, em 2018. Após a boa passagem pelo interior paulista, volta sonhando com mais chances no clube. Ainda é uma incógnita por não ter demonstrado o bom futebol, desempenhado em oturos clubes, na Vila Belmiro.

Emiliano Vecchio não deixou saudade no torcedor. O argentino de 30 anos tem contrato até 2020 e está emprestado, até o meio de 2019, ao Al-Ahli, dos Emirados Árabes. O meia, muito utilizado por Jair Ventura, foi negociado logo quando Cuca entrou no Peixe, assim como David Braz. Mesmo que volte ao Alvinegro, deve ser novamente cedido a outra equipe.

No ataque, quem volta é Rodrigão. O jogador de 25 anos, que chegou a ser "artilheiro do Brasil" enquanto atuava pelo Campinense, tem vínculo até maio de 2021. Alternou bons e maus momentos com a camisa do Santos. Num primeiro momento, sem a perspectiva de um centroavante após o término do empréstimo de Gabigol, deve ser aproveitado. Mas, com a vinda de um novo treinador e a montagem do elenco, pode ser que o sonho do atacante em seguir no Peixe tome outro rumo.

Matheus Ribeiro, Orinho, Romário, David Braz, Fabián Noguera, Cléber Reis, Leandro Donizete, Rafael Longuine, Emiliano Vecchio e Rodrigão... Quem você manteria no clube para 2019, torcedor(a)?