EDIÇÃO DIGITAL

Sábado

17 de Agosto de 2019

Prefeitura de São Vicente espera radares funcionando em setembro

Os 18 radares irão verificar a velocidade, o avanço de semáforo ou ambos os itens

São Vicente pretende ter 18 novos radares funcionando até setembro. A Prefeitura prevê para este mês as aferições do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). A empresa vencedora da licitação para gerir o sistema é a NDC Tecnologia e Informática LTDA, a mesma que operava os equipamentos na Cidade até o último contrato, encerrado em maio de 2017. 

Por enquanto, apenas dois radares funcionam em São Vicente: na Linha Amarela (Avenida Martins Fontes), próximo da Rua Frei Gaspar, e na Avenida Presidente Wilson, perto do número 424, em frente de uma escola particular, em ambos os sentidos – além dos existentes nas rodovias que passam pela Cidade – estes sem interferência da Administração Municipal.

Dos 18 radares, oito são novos e outros reaproveitados ou reinstalados em pontos desativados desde 2013. Serão 12 equipamentos fixos, dois mistos de excesso de velocidade e quatro de avanço de sinal. 

Segurança

Segundo o secretário de Trânsito e Transportes de São Vicente, Alexandre de Almeida Costa, não se trata de fábrica de multas, mas de segurança. 

“A gente coloca o radar pela segurança viária, para evitar acidentes e mortes. Caberia instalar mais? Com certeza, mas a gente procurou pontos em que há maior risco de acidentes. Depois de ligados, por uma semana, teremos só orientação, para depois multar”.

Quando em funcionamento, os cerca de 12 radares anteriores, que funcionavam até 2017, registravam, em média, 3 mil multas ao mês, o que levava aos cofres municipais R$ 360 mil, em média.

“A maioria das multas era por ultrapassar o limite da velocidade em 20% do permitido, gerando infração com multa de R$ 120,00”, diz o secretário.

Demora

A espera pelo retorno dos radares ocorreu, segundo a Prefeitura, porque a licitação em andamento levou cerca de um ano, sofrendo impugnações e ações das participantes que questionaram o certame. Foram sete participantes.

Além disso, o processo de repavimentação da Cidade, iniciado no fim do ano passado, forçou o desligamento do serviço. 

Nem todos os equipamentos estão instalados ainda e, segundo o secretário, a sinalização de solo e avisos de radares também devem ficar prontos até setembro. Outras campanhas educativas devem ocorrer conjuntamente.

Onde os radares estão instalados (em negrito, os novos equipamentos)

1 - Avenida Presidente Wilson, altura do número 435 (sentido Centro/Praia)

2 - Avenida Presidente Wilson, altura do número 424 (sentido Praia/Centro) 

3 - Rua Tupiniquins/Rua Papa João XXIII (sentido Praia Grande/Ponte Pênsil)

4 - Avenida Padre Manuel da Nóbrega/Rua Quintino Bocaiúva 

5 - Avenida Padre Manoel da Nóbrega, altura do número 1.130 (sentido Santos/São Vicente)

6 - Avenida Padre Manuel da Nóbrega/Avenida Presidente Wilson (sentido Santos/Ilha Porchat)

7 - Avenida Martins Fontes, altura do número 448 (sentido Centro/Praia)

8 - Avenida Martins Fontes (Rodovia - Viaduto Imigrantes) (sentido Centro/Bairro) 

9 - Avenida Martins Fontes Rua Tenente Durval do Amaral (sentido Centro/Bairro) 

10 - Avenida Ayrton Senna da Silva, Km 01+600m (sentido São Vicente / Santos)

11 - Avenida Ayrton Senna da Silva/Rua Quintino Bocaiuva (sentido S. Vicente/Santos) 

12 - Avenida Antônio Emmerich, altura do número 963 (sentido Santos/São Vicente)

13 - Avenida Antônio Emmerich, altura do número 1.134 (sentido São Vicente/Santos)

14 - Rua do Colégio, altura do número 20 (sentido Bairro/Centro)

15 - Avenida Marechal Deodoro, número 253 (sentido Praia/Centro) 

16 - Avenida João Papa II, Km 2 +300 metros (sentido Centro/Bairro) 

17 - Avenida Vereadora Angelina Pretti da Silva, 500 metros da Ponte (sentido Bairro/Centro)

18 - Rua Quintino Bocaiuva/Avenida Padre Manoel da Nóbrega (sentido Centro/Praia)