EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

11 de Agosto de 2020

Prefeitura de São Vicente envia ofício para abertura parcial da Ponte dos Barreiros

Documento foi encaminhado ao Governo do Estado; ponte seria reaberta parcialmente durante as obras

A Prefeitura de São Vicente deu início ao processo que pode liberar uma das pistas da Ponte dos Barreiros. De acordo com o secretário adjunto de Assuntos Jurídicos, Paulo Bonavides, uma solicitação foi enviada à Secretaria do Estado de Logística e Transportes na quinta-feira (5). 

Em entrevista à TV Tribuna, Bonavides afirmou que o ofício foi encaminhado ao secretário João Octaviano Machado Neto. Após análise, o pedido deve ser enviado ao Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo (EMTU-SP) e Defesa Civil, sendo posteriormente assinado pelo prefeito Pedro Gouvêa.

"O secretário João Octaviano percebeu que o lado da via férrea está melhor, portanto, ele poderia ser utilizado. Então, colocaríamos os pontos de 'siga e pare', velocidade máxima de até 40 Km/h, e a proibição de caminhões", disse Bonavides.

O secretário ainda comentou que apenas carros, ônibus e motocicletas circulariam pelo local. Também seria necessária a fiscalização da Polícia Militar, Guarda Civil Municipal e agentes de trânsito. Ainda segundo Bonavides, o reparo emergencial das estacas que estão em estado mais crítico seria iniciado durante a liberação.

"Na decisão, o juiz afirma que só iria se manifestar se o IPT não se manifestasse sobre o teste de cargas realizado pela prefeitura. Isso aconteceu?”, questiona o secretário.

Entretanto, o Ministério Público é contrário à liberação da via. De acordo com laudo emitido em 2014 pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas para a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), a ponte já apresentava sinais de colapso à época.

Travessia  

Atualmente, apenas pedestres e ciclistas podem fazer a travessia da principal via que liga a Área Continental à Insular. Na manhã desta sexta-feira (6), moradores de São Vicente tiveram de atravessar a ponte debaixo de chuva, e houve muitas reclamações.

A aposentada Maria Vera Lúcia da Silva, de 73 anos, precisou percorrer a estrutura para ir a uma consulta médica. Carregada pelas netas, ela desabafou sobre a dificuldade de locomoção. 

"Meu médico está marcado para as 10h. Não sei nem se vai dar tempo de chegar. É uma vergonha, porque a gente paga imposto e anda em dia. Mesmo aposentada, e o meu marido também, não devemos nada para a prefeitura", comenta a idosa.

A neta da idosa, Aline dos Santos da Silva, revela que a avó é hipertensa e passou mal após a travessia. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado. Devido à demora, as três pedestres preferiram pegar o ônibus para não se atrasarem.

"Muitas pessoas de idade têm que passar por isso todos os dias, de manhã ou na volta. Andam com crianças na chuva. É uma vergonha, não só para o prefeito atual, mas para os outros que passaram e não viram que a ponte precisava de reparos", conta a autônoma.

Com o filho pequeno no colo, Laís Silva de Jesus faz o percurso a pé diariamente e passa pela baldeação do ônibus para levar a criança à creche. "Prefiro que continue fechada e façam uma obra do que acontecer uma fatalidade. Não dá para andarmos nessa ponte todo dia com criança e na chuva. Tem que ser tomada uma providência", finaliza.

Passageiros se aglomeram para passar pela baldeação do transporte público (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Posicionamento 

Em nota, a Prefeitura de São Vicente, por meio da Secretaria de Trânsito e Transportes,  esclarece que houve maior procura das linhas no Terminal devido à chuva. O trânsito em Praia Grande também atrasou a passagem destas linhas, mas foi uma questão pontual. A operação do transporte é monitorada diariamente e adequada conforme as demandas. 

Com relação à cobertura do Terminal, a Setrans informa que já existem abrigos instalados nas plataformas e que a quantidade será ampliada.

Tudo sobre: