EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Migração de créditos para nova empresa de transporte de São Vicente levará 30 dias

Saldo do cartão antigo poderá ser passado para o novo, informou diretor da Otrantur

A empresa Otrantur, que ainda não tem data para começar a rodar no transporte municipal de São Vicente, dará um prazo de 30 dias para que usuários migrem os créditos dos cartões antigos para os novos. 

Segundo o diretor da Otrantur, José Ronaldo Alves de Sales, o saldo do cartão antigo poderá ser passado para o novo sem problemas. Por enquanto, a empresa ainda realiza testes de bilhetagem eletrônica e sistema de integração. 

“Estamos fazendo testes para aplicar o sistema entre as linhas. Isso é fundamental para que tudo funcione com sucesso”. 

A Otrantur começa a operar o novo sistema ainda este mês. Nesta terça-feira (5), foi feita uma apresentação da frota e do serviço para autoridades de São Vicente. Para o secretário de Transportes da Cidade, Alexandre de Almeida, ajustes técnicos pendentes ainda não permitem que uma data seja cravada. 

“Isso acontecerá até o dia 15 de novembro. Foram apresentados os veículos que vão operar e a empresa explicou detalhes sobre a operação e as linhas”. 

A expectativa, segundo o secretário, é de que os ônibus novos atendam com qualidade as pessoas. “São todos modernos, com itens que o sistema atual não tem, como ar-condicionado, tomada USB e Wi-Fi”. 

Um dos destaques é o aplicativo no qual o usuário poderá acompanhar a rota do ônibus, onde ele está e a previsão de chegada no ponto. “Será inclusive uma segurança a mais para a população”. 

Novidades 

O investimento de R$ 53 milhões em cinco anos promete melhorar a vida de 2,1 milhões de passageiros por mês. Ainda serão contratados 800 funcionários para serviços como manutenção e limpeza. 

A frota terá 245 ônibus com elevador para cadeirantes e 75 veículos convencionais com capacidade para 44 passageiros sentados. 

Por fim, há um estudo para verificar a necessidade de criação de pontos de ônibus. Depois, haverá a contratação de empresa para instalar novos abrigos e reformar os já existentes. 

Tudo sobre: