EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

6 de Agosto de 2020

IPT finaliza neste mês laudo técnico para atestar Ponte dos Barreiros, em São Vicente

Análise do órgão estadual é uma exigência da Justiça; resultado deve ficar pronto até 30 de junho e vai indicar se acesso terá fluxo de veículos liberado após reforma emergencial

O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) finaliza até o dia 30 de junho laudo técnico para atestar a reforma emergencial realizada na Ponte dos Barreiros – principal acesso entre as regiões insular e continental de São Vicente. A conclusão do estudo pode sinalizar a reabertura parcial do equipamento, quase oito meses depois de ser interditado pela Justiça por apresentar sinais de colapso estrutural. 

O prazo para o órgão paulista avaliar o equipamento consta num acordo costurado entre representantes da prefeitura e o juiz titular da Vara da Fazenda Pública da Comarca de São Vicente, Fábio Francisco Taborda, no qual ATribuna.com.br teve acesso. A medida ficou assegurada após a finalização da recuperação emergencial da ponte, no sábado (6).  

A secretária municipal de Assuntos Jurídicos, Bernadete Bacellar do Carmo Mercier, explica que o projeto da reforma emergencial da ponte já foi encaminhado ao IPT. A documentão inclui técnicas utilizadas e avaliações de engenheiros da empresa contratada, de forma emergencial, para a realização da primeira fase de reforma do acesso.

A liberação do acesso depende do aval da Justiça (Divulgação/PMSV)

Assim, caberá ao órgão estadual avaliar, por meio da documentação, de que a reforma afastou o risco de colapso estrutural. Em caso de uma resposta positiva, é aguardado que a judiciário possa decidir se uma das faixas será liberada para o tráfego de veículos.  

Pelo acordo costurado com a Justiça, somente com a comprovação de que houve a recuperação de duas travessas e 52 vigas transversais do equipamento, alvos da reforma emergencial, é que será possível a retomada do trânsito de veículos leves e ônibus.

Na semana passada, a administração vicentina deu início ao pedido de análise estrutural da Ponte dos Barreiros. “Atendendo a uma solicitação feita pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (Comarca de São Vicente), o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) está realizando o exame das documentações referentes ao projeto de reforço emergencial e à respectiva execução da obra da Ponte dos Barreiros, na cidade de São Vicente”, informa o órgão paulista, por meio de nota. 

Siga e pare 

A expectativa da administração vicentina é que, após a verificação do IPT, o judiciário libere ao menos uma das vias do acesso para o fluxo – a faixa do lado direito, no sentido ilha ao continente. Com isso, o poder público espera adotar o Sistema Siga e Pare, modelo no qual uma das faixas é liberada para utilizar o acesso, enquanto a mão contrária aguarda por sua vez; assim como já ocorre na Ponte Pênsil. 

O formato chegou a ser adotado na Ponte dos Barreiros nos meses finais de 2019, antes de o acesso ser completamente fechado pela Justiça, em 30 de novembro. Desde então, os cerca de 130 mil moradores daquela região vicentina precisam se descolar por mais de 32 quilômetros para chegar à área insular da Cidade, que é dotada de serviços públicos essenciais.

Rodovias que são acesso a Cubatão e Praia Grande são as únicas formas de locomoção por veículos. Outra alternativa é atravessar a extensão do acesso a pé ou por serviços que fazem esse deslocamento por bicicletas. 

Carrocela é um dos serviço adotado para facilitar a travessia (Matheus Tagé/AT)

Em paralelo ao pedido judicial, o poder público sustenta ter começado a elaboração do projeto executivo que prevê a segunda fase de recuperação da ponte. “O edital (para a escolha da empresa para a fase final de reforma) dece ficar pronto até julho”, destaca Bernadete. 

Com isso, a titular afirma que a reforma total do acesso possa ter início ainda neste ano. A segunda e complementar fase de recuperação está avaliada em R$ 51 milhões, e prevê a recuperação das demais estacas e reforma da mesa. O recurso é do Governo Federal.

Primeira fase  

A primeira fase para recuperação da Ponte dos Barreiros foi encerrada no sábado (6), dias antes do prazo previsto no cronograma de obras – que era estimado para o final deste mês. Iniciada em abril, a etapa foi responsável pela recuperação de 52 estacas que apresentavam maior desgaste, uma longarina (vigas longitudinais ou principais) de um dos tabuleiros e três travessas.  

Para a obra, a Terracom – empresa vencedora da licitação emergencial – utilizou 76 profissionais, incluindo equipe operacional, mergulhadores, setor administrativo, área técnica e condutores de embarcações. As intervenções em caráter emergencial tiveram custo de R$ 5,7 milhões. 

Tudo sobre: