EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

26 de Fevereiro de 2020

Fotógrafa faz ensaios temáticos em casa de repouso de São Vicente: ‘Idoso não é um final triste’

Sibylla Ventura criou o Projeto Relicário no Lar Vicentino após a morte do avô, aos 84 anos. Dois meses antes, ela tinha fotografado os avós no Dia dos Namorados, sendo este o último passeio que ele fez em vida

Captar uma imagem pode trazer interpretações e sentimentos diversos. Para os idosos do Lar Vicentino de Assistência à Velhice, em São Vicente, é uma forma de ter a autoestima elevada e mostrar que envelhecer não é sinônimo de tristeza e angústia. Assim pensa a fotógrafa Sibylla Ventura, de 37 anos, responsável por fazer ensaios voluntários com os idosos há quase três anos, no que intitula Projeto Relicário.

Ensaio do projeto Relicário no Lar Vicentino com tema circo (Foto: Sibylla Ventura) 

A ideia surgiu em 2016, após o falecimento de seu avô no mês de agosto, pois dois meses antes fez o ensaio dos 60 anos de casados dos avós, em 12 de junho, Dia dos Namorados. Pouco tempo depois de tirar as fotos, o avô de Sibylla ficou doente e, posteriormente, de cama, sendo o ensaio fotográfico o último passeio que fez em vida.

“O meu avô quando mais novo era fotógrafo. Como ele sempre gostou de foto eu propus o ensaio simbolizando o amor e a união deles, e os dois concordaram. Como eu estava com alguns acessórios no carro, peguei corações e objetos para colocar em cena no Orquidário. Quando postei as fotos dos dois no Facebook, teve uma repercussão grande, todo mundo achou legal, por conta deles serem idosos”, detalha.

A avó de Sibylla, Judith Ventura Lopes,de 82 anos, foi presenciar a exposição do Projeto Relicário e viu sua foto com o falecido marido (Foto:Arquivo Pessoal)

Após a morte do avô, Sibylla decidiu levar alegria para os idosos do Lar Vicentino, pois uma vez tinha ido ao local e voltou de lá reflexiva sobre como é viver em uma casa de repouso. “Tive a ideia de criar o projeto. Fui conversar com uma amiga porque queria um nome forte, simbólico. E a gente cogitou Relicário, que porta relíquias mesmo”, relembra.

Idosos do Lar Vicentino no ensaio natalino do Projeto Relicário (Foto: Sibylla Ventura)

Os ensaios são realizados quando Sibylla tem disponibilidade para fazer as fotos. De 2016 até 2018, foram quatro ensaios anuais. Neste ano, até o momento, realizou dois. Na ocasião, ela escolhe tema, figurino, e, se necessário, até monta cenários. Tudo para os idosos se tornarem o centro das atenções e dos flashs da câmera. 

“Eles se sentem especiais, é como se fossem estrelas. Ficam bem eufóricos também. No dia dos ensaios, junto de oito a dez voluntários da área da beleza. Os idosos ganham penteados, maquiagem e unhas pintadas. Antes, faço uma pesquisa do tema, procuro roupas em brechós, acervo pessoal, peço ajuda de familiares e amigos. E monto o figurino de todos”, explica a fotógrafa. 

Ensaio com tema festa junina teve até barraca do beijo. (Foto:Sibylla Ventura)

Para ela, o processo de estar sendo fotografado e depois ver o resultado instiga uma mudança de olhar para o idoso. “Os ensaios temáticos servem para desmistificar um pouco essa ideia de que o idoso é ligado a tristeza, a angústia, principalmente quando a gente fala de um idoso que está em uma casa de repouso. Com os ensaios consigo extrair sorrisos, brincadeiras, alegrias... Por meio do projeto eu notei que muita gente passou a ver o idoso de outra forma, passou a compreender que o idoso não é um final triste”, pontua.

O grande dia

No dia dos ensaios, ela ainda conta com a ajuda dos profissionais do Lar Vicentino para arrumar os idosos e para montar algum cenário. Uma de suas técnicas é de colocar música da época dos idosos, que tenham relação com o tema, durante o ensaio, pois assim consegue extrair mais sentimentos e expressões na fotografia. Todos os idosos são convocados para participar dos ensaios, e eles escolhem se querem ou não. Ela afirma que a única dificuldade é lidar com aqueles que têm alzheimer.

Fotógrafa conta com ajuda de voluntários para arrumar figurino, fazer maquiagem e montar cenário (Foto: Arquivo Pessoal) 

“Eu recebo a lista dos idosos que vão participar e arrumo a quantidade de figurino. Só que às vezes chega o dia do ensaio e muitos falam que não vão participar, por terem alzheimer. E como as fotos são feitas nos intervalos do lanche, é tudo muito rápido e dinâmico. Não é fácil conduzir, mas o resultado é compensador. Acho que os ensaios servem para elevar um pouco da autoestima deles. Quem participa sente um pouco isso”. 

Para Antônia Oliveira Gonçalves, de 92 anos, a Dona Antônia do Lar Vicentino, os ensaios fotográficos são motivos de felicidade.”Eu adoro, me sinto muito feliz”, afirma. 

Dona Antônia no ensaio com tema anos 60. (Foto: Sibylla ventura)

A assistente do Lar Vicentino Kelly Farias, de 33 anos, vê o Projeto Relicário como valorização da terceira idade. “As fotos traduzem a beleza e a expressão do doso. Quando comunicamos aos residentes sobre um novo ensaio eles ficam ansiosos e na expectativa do grande dia. A reação após o ensaio ė de alegria e satisfação, eles sempre agradecem a oportunidade”.

A fotógrafa também registra o cotidiano dos acolhidos do Lar e já conseguiu expor seu trabalho na região, que contou com a presença dos idosos modelos. “O ano passado fiz ensaio documental e fiz duas exposições: uma no Miss [Museu da Imagem e do Som de Santos] que ficou um mês e depois Instituto Histórico e Geográfico de São Vicente. Eles foram visitar, foi bem significativo”. 

Idosos entram no clima dos ensaios. (Foto: Sibylla Ventura)

 

Lar Vicentino 

O Lar Vicentino de Assistência a Velhice é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que foi fundado em 1950 e até hoje acolhe idosos de ambos os sexos. Atualmente conta com 13 homens e 21 mulheres. A idosa mais velha é Angélica Pedro dos Santos, que tem 103 anos. A instituição oferece atendimento médico, enfermagem, fisioterapia, ginástica geriátrica, nutrição e assistência social. Além dos profissionais, há um grupo de voluntários e uma coordenadora responsável para auxiliar nas atividades simples do dia a dia.

A próxima atividade para arrecadar fundo será realizada no  dia 23 de outubro, em um restaurante de Santos. “Vamos realizar um jantar em prol do Lar. A renda será revertida para as despesas e salários dos funcionários. Será uma noite italiana e o convite custa R$ 50. Para comprar um basta entrar em contato por telefone ou pelas redes sociais. Vamos entregar o convite na casa da pessoa”, diz Kelly.

Para arrecadar fundos, o Lar dispõe de um bazar e aceita doações de roupas, utensílios domésticos e móveis. Toda a renda do bazar ajuda a manter a instituição. Além disso, é aceito doação em dinheiro e também cupom fiscal.

Interessados em participar, fazer uma doação, visitar ou se tornar um voluntário podem entrar em contato pelo telefone (13) 3468-5850. O Lar Vicentino fica localizado na Rua Carijós, 139, Parque São Vicente.

Tudo sobre: