EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

26 de Junho de 2019

Filho de perueiros faz vaquinha virtual após ganhar curso de mestrado em Portugal

Com 22 anos, aluno de Engenharia Mecânica da USP sairá da faculdade com diploma de mestre

O sonho de estudar fora do país poderá ser realizado por um jovem de São Vicente. Luiz Felipe Monteiro, de 22 anos, conseguiu uma bolsa de estudos para um mestrado em engenharia aeroespacial, em Lisboa. Vindo de uma família de perueiros, o estudante montou uma vaquinha virtual para arcar com a estadia no país português e conseguir seu duplo-diploma em uma das escolas de engenharia mais influentes da Europa. 

O curso voltado para a área de engenharia aeroespacial tem duração de dois anos e, após sua conclusão, Luiz voltaria para o Brasil para finalizar seu curso na Universidade de São Paulo (USP). O jovem então ganharia seu duplo-diploma, se tornando engenheiro mecânico e mestre com menos de 25 anos. Ele deixaria a família no Brasil para se dedicar aos estudos durante o período, mas o custo de vida no exterior pode impedir que o sonho vire realidade. 

Segundo o estudante, o valor estipulado em R$37 mil seria o ideal para manter uma estabilidade fora do país, mesmo que viva "sem luxo" nos próximos dois anos. Com data para partir em setembro deste ano, o jovem conta que os pais estão fazendo viagens extras e que já conseguiu juntar mais de R$ 8 mil reais com os valores da bolsa de iniciação científica, mas que o valor só seria suficiente nos primeiros meses do curso. 

"Minha família sempre trabalhou com transporte escolar, mas não temos dinheiro suficiente para arcar com as despesas durante os dois anos. A instituição estipula que só os gastos com alimentação custam 150 euros mensais", explica Luiz. O futuro engenheiro também conta que pensa em trabalhar assim que chegar ao país lusitano para arcar com as despesas. "A gente se aperta e vamos dar um jeito de ficarmos por lá", brinca.

Família de jovem procuruou as redes sociais para tentar custear despesas da moradia (Foto: Arquivo Pessoal/ Luiz Felipe Gonçalves)

Atualmente, ele é aluno de Engenharia Mecânica da Escola Politécnica da USP e deixou a Baixada Santista para viver em um apartamento modesto na capital paulista, com ajuda do auxílio-moradia para estudantes de baixa renda. Para conseguir uma vaga em uma das universidades mais disputadas do país, Luiz concorreu com outros 10 mil alunos, conseguindo passar na segunda colocação.

Desde então, os estudos paralelos aos aprendidos na instituição foram enriquecendo seu currículo ao longo dos quatro de cinco anos de graduação. Engajado em projetos ligados à área de iniciação científica, o estudante chamou a atenção em meio aos alunos e conseguiu ser indicado ao mestrado em engenharia aeroespacial no Instituto Superior Técnico de Lisboa, uma das mais respeitadas escolas de engenharia no mundo.

Apesar de cursar engenharia mecânica, Luiz conta que o curso permitiu conhecer áreas mais específicas, que logo chamaram sua atenção e o fizeram se encontrar na área. "Sempre gostei de coisas ligadas ao universo. Quando entrei em engenharia mecânica não sabia o que fazer e passei a estudar sobre a área aeroespacial, a qual me identifiquei", comenta.

Quanto ao futuro, Luiz lamenta que área aeroespacial não tenha tantas oportunidades no Brasil, mas que torce para trabalhar em empresas aeronáuticas em solo português. “É uma área muito restrita, mas quem sabe eu não volte para lá e tente uma vaga na aeronáutica”, finaliza. As arrecadações podem ser feitas pelo site.