EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

14 de Agosto de 2020

Com queima de fogos, Ponte dos Barreiros é reaberta após 7 meses; vídeo

A retomada do principal acesso entre áreas continental e insular vicentina ficou assegurada em decisão TJ-SP

Com direito a queima de fogos de artifícios, a Ponte dos Barreiros, em São Vicente, foi reaberta para o fluxo de veículos leves na manhã desta quarta-feira (1º). A retomada do acesso entre áreas continental e insular vicentina ficou assegurada em uma decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), na tarde desta terça-feira (30). A decisão interrompe sete meses em que o equipamento estava fechado por determinação judicial, por risco de colapso estrutural. 

O posicionamento do juiz Fabio Francisco Taborda teve como base laudos técnicos do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), que atestaram a segurança viária na ponte. Essa garantia ocorreu após a conclusão da primeira da fase de recuperação do acesso entre áreas continental e insular de São Vicente.  

A conclusão do estudo era aguardada pelo Judiciário para autorizar a reabertura do acesso. Segundo o parecer do IPT, que ATribuna.com.br teve acesso, a ponte está apta a receber o tráfego de veículos de até dois eixos, com peso bruto total de até oito toneladas por eixo e com velocidade limite de 40 km/h, em toda sua extensão de 623 metros, nas duas faixas de tráfego, nos dois sentidos. 

Reabertura do acesso ocorreu ainda na madrugada (Marcela Pierotti/TV Tribuna)

O magistrado ressaltou, em sua decisão, que o tráfego estará liberado para motos, carros de passeio, utilitários, SUV's, camionetes e micro-ônibus. Ficam proibidos de trafegar pela ponte ônibus e caminhões, independentemente do número de eixos. Essa liberação tem validade de um ano (ou seja, até junho de 2021).  

A prorrogação desse prazo está condicionada à conclusão da segunda etapa de intervenções no local. Segundo a prefeitura, já está em andamento o processo licitatório para a escolha da empresa que vai fazer a reforma complementar do acesso (veja abaixo). A expectativa é que as obras tenham início ainda neste ano. 

Taborda determinou ainda que a sinalização vertical e de solo, além da ativação do radar de velocidade já existente deverão ser comprovadas nos autos em até 72 horas após a reabertura do local. Pede ainda para a Prefeitura de São Vicente manter, todos os dias da semana das 6h até 21h, fiscalização de trânsito em uma das cabeceiras da ponte, de forma a tornar efetiva a proibição de ônibus e caminhões. 

Caso a fiscalização não ocorra, a Ponte dos Barreiros poderá sofrer nova interdição.  

Obras  

A primeira fase para recuperação da Ponte dos Barreiros foi encerrada no começo de junho. Iniciada em abril, a etapa foi responsável pela recuperação de 52 estacas que apresentavam maior desgaste, uma longarina (vigas longitudinais ou principais) de um dos tabuleiros e três travessas.  

Para a obra, a Terracom – empresa vencedora da licitação emergencial – utilizou 76 profissionais, incluindo equipe operacional, mergulhadores, setor administrativo, área técnica e condutores de embarcações. As intervenções em caráter emergencial tiveram custo de R$ 5,7 milhões. 

Já a etapa final das intervenções está estimada em pouco mais de R$ 51 milhões. São previstas a recuperação estrutural das demais estacas e reforma da mesa, o que possibilita a ampliação de carga para veículos com até três eixos. 

Os recursos para a recuperação do equipamento ficaram assegurados em 21 de dezembro, quando o governo federal liberou R$ 58 milhões. A liberação da verba ocorrerá por etapas, conforme o avanço das intervenções no local. A reformulação completa deve durar 12 meses.   

Tudo sobre: