Barreiras sanitárias passam a funcionar para orientar turistas em São Vicente

Prefeito Kayo Amado disse, ainda, que vai solicitar apoio do Estado para conter a vinda de turistas

As barreiras sanitárias, utilizadas para conter o avanço do coronavírus, já começaram a funcionar no sábado (23) em São Vicente, segundo o prefeito Kayo Amado (Podemos). Até então, a Cidade era a única que não tinha uma barreira sanitária. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Ele disse, ainda, que vai solicitar apoio do Estado para conter a vinda de turistas e falou que o Governo Paulista poderia solicitar à Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) que fizesse o bloqueio nos pedágios, administrados pela Ecovias. "Além disso, vamos continuar pedindo que a população colabore. O melhor caminho é que cada um possa se conscientizar das medidas sanitárias", disse.

Em nota, a Prefeitura disse que realizou, neste sábado (23) e domingo (24), barreiras sanitárias de orientação nas entradas da cidade (Km 65 e 67 da Rodovia dos Imigrantes). A ação ocorreu entre 8h e 12h, contando com equipes da Vigilância Sanitária, Agentes de Trânsito e GCM. 

A nota informa, ainda, que as barreiras não são proibitivas, ou seja, não impedem que turistas entrem na cidade, somente conscientizam sobre a disseminação do coronavírus.

Barreiras na região

O prefeito de Santos, Rogério Santos (PSDB), disse que, independentemente da reunião do Conselho de Desenvolvimento da Baixada Santista (Codesb) marcada para a próxima quinta-feira (28), vai manter contato com os nove prefeitos da região. 

Ele afirmou que, com o aumento das restrições, vai precisar de apoio do Estado. "As restrições aumentaram muito. É necessário que todos os órgãos, inclusive Artesp, nos ajudem. Conversaremos sobre aumento no número de barreiras, mas há necessidade de ajuda", disse.

O prefeito de Guarujá, Valter Sumán (PSB), disse que atualmente há três barreiras na cidade impedindo entrada de ônibus e vans turísticas. A cidade foi a primeira a colocar barreiras sanitárias e impediu mais de 55 mil veículos de entrarem na cidade, segundo o Prefeito. "Os braços dos municípios não são tão longos. Dentro do Condesb, estamos buscado consenso. Baseado no que o Estado disse, decidiremos juntos. A meu ver, qualquer confronto ao Estado será alvo de processo do Ministério Público", disse ele, reforçando as medidas sanitárias. "Todos estamos cansados, mas tá aí a grande importância da população se conscientizar. Ao mesmo tempo que vemos chegada da vacina, não podemos afrouxar", concluiu.

Tudo sobre: