EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

22 de Abril de 2019

Ba-bahianas sem Taboleiro reúne 50 mil foliões na orla do Gonzaguinha, em São Vicente

O bloco foi criado no dia 22 de janeiro 1936 e é um dos mais tradicionais de São Paulo

O Ba-bahianas sem Taboleiro levou cerca de 50 mil pessoas para a orla do Gonzaguinha, em São Vicente, neste domingo (3). O bloco, considerado um dos maiores do Estado de São Paulo, manteve a tradição de homens vestidos de mulheres, mas reuniu também foliões fantasiados especialmente para a ocasião.

“Foi um desfile muito bonito, alegre e divertido. O pessoal veio para se divertir e trazer a alegria, foi o que mais pedimos durante a semana. Deu tudo certo. O reforço na segurança também foi muito bom”, disse Fabiano Cutino, presidente do Ba-bahianas. O desfile também foi acompanhado por Nazir, presidente de honra da agremiação, e um dos mais antigos membros do bloco.

Antes de dar início ao desfile, Cutino falou sobre a morte de Regina Célia Dias, presidente da Academia Vicentina de Letras, Artes e Ofícios, e ex-presidente do Ba-bahianas sem Taboleiro, que faleceu na tarde deste sábado (2). “Ela foi a primeira mulher a presidir o bloco, uma pessoa muito importante para nós. O desfile de hoje foi em sua homenagem”.

O  Ba-bahianas Sem Taboleiro foi criado no dia 22 de janeiro 1936 pela família Sbravatti, e é o mais antigo bloco de São Vicente. O prefeito Pedro Gouvêa acompanhou o desfile ao lado do deputado estadual Caio França (PSB).

Segurança

Segundo a Prefeitura de São Vicente, o Ba-bahianas contou com reforço na segurança. Durante o percurso, da Praça 22 de Janeiro até a Praça do Maçom, não foram registradas ocorrências. O desfile teve acompanhamento da Polícia Militar e Guarda Civil Municipal.

Agentes de trânsito também atuaram na fiscalização e orientação de motoristas e pedestres nas vias de acesso ao local de desfile, que foram bloqueadas às 8h e liberadas após a dispersão do desfile, que terminou ao meio-dia. 

Todo o percurso contou com monitoramento por câmeras. Quatro bloqueios foram instalados para revista dos foliões, que não puderam ingressar na área de desfile com objetos pontiagudos (inclusive guarda-chuva), bebidas em garrafa de vidro, sprays e cooler.

“A segurança dos foliões foi garantida graças à sinergia entre a Polícia Militar e GCM. Mais de 300 homens atuaram na revista, acompanhamento do bloco e bloqueio de acesso, tivemos monitoramento por câmeras e imagens aéreas com uso de drone”, explicou Fábio Pasquarelli, assessor de Relações com a Segurança Pública da Prefeitura.

A Secretaria de Comércio, Indústria e Negócios Portuários (Secinp) de São Vicente també esteve no bloco, com equipe de fiscais, para combater o comércio irregular de produtos. Não foram registradas ocorrências envolvendo ambulantes.