EDIÇÃO DIGITAL

Quarta-feira

23 de Outubro de 2019

Após extinção, funcionários da Codesavi são absorvidos pela Prefeitura de São Vicente

Empresa foi extinta em maio deste ano. Ao todo, 681 funcionários da empresa estarão na folha de pagamento da administração a partir de outubro

Após a dissolução e extinção da Companhia de Desenvolvimento de São Vicente (Codesavi) e o término do prazo de transição dos funcionários para a administração municipal, os 681 funcionários da empresa foram absorvidos e, a partir do mês de outubro, já estarão na folha de pagamento da prefeitura.

O fim da Codesavi foi aprovado em 9 de maio pela Câmara. Assim, a partir do dia 10, conforme a Lei Complementar 934, a prefeitura teve 120 dias para concluir o processo de transição dos colaboradores da empresa, prazo que se encerrou no dia 10 de setembro. O custo aproximado deverá ficar próximo de R$ 3,5 milhões, conforme apresentado por técnicos do Executivo durante plenarinho da Casa.

A prefeitura informou que, conforme o planejamento, os antigos funcionários da Codesavi foram absorvidos por meio do regime celetista (CLT), e serão disponibilizados para setores de zeladoria, manutenção de escolas, creches e unidades de saúde, além de outros setores administrativos da cidade.

Dívidas e extinção

A empresa de capital misto, da qual a prefeitura possuía 99% das ações, tinha dívidas que chegavam a quase a R$ 500 milhões. Os problemas financeiros envolvendo a Codesavi não eram recentes. Em 2016, o cenário já apontava que, nos três anos anteriores, o patrimônio líquido da empresa havia caído 1.420%.

Da dívida mais recente, R$ 179 milhões eram resultantes de verbas trabalhistas, incluindo encargos de INSS e FGTS. O débito impedia que a empresa obtivesse certificações negativas que comprovassem sua regularidade fiscal, para que pudesse ser contratada pela administração municipal.

Funcionários da Codesavi foram remanejados para o quadro de trabalhadores da Prefeitura de São Vicente (Foto: Divulgação/PMSV)
Tudo sobre: