EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

25 de Junho de 2019

Palácio da polícia é imagem do abandono, diz De Rosis

Câmara pressiona Governo do Estado por reforma na sede da Polícia Civil em Santos

Em discurso inflamado, o presidente da Câmara de Santos, Rui de Rosis (MDB), criticou, nesta segunda-feira (10), o estado de abandono do Palácio da Polícia, no Centro. Durante a sessão do Legislativo, chamou todos os vereadores para uma reunião no prédio, nesta terça-quarta (12), às 16 horas, com o diretor da Polícia Civil, Manoel Gatto. A ideia é que os parlamentares vistoriem o local e pressionem o Governo do Estado para uma solução urgente.

“Ter um prédio decadente reforça, no inconsciente coletivo, fragilidade - quando a nossa segurança precisa ser cada vez mais respeitada e fortalecida. Literalmente, o Palácio da Polícia agoniza. É a imagem do abandono, do descaso, da falta de vontade política e até do desrespeito à Polícia Civil, que sobrevive e assim mesmo cumpre sua função”, disparou de Rosis. 

A Tribuna já fez dezenas de reportagens, ao longo dos últimos 10 anos, mostrando um prédio cada vez mais perigoso, sem medidas efetivas do Estado. Laudo divulgado no mês passado, feito por um perito judicial, mostrou que a estrutura oferece riscos a funcionários e visitantes e que todos os reparos necessários custariam quase R$ 30 milhões.

“Não podemos ficar alheios a esse quadro. Quero instar todos a realizarmos uma visita ao prédio. Os 21 vereadores, unidos. Será uma visita do Poder Legislativo, um grito de alerta. Os senhores ficarão estarrecidos com as imagens. Por fora e por dentro. Há rachaduras, infiltrações, vegetação brotando dos buracos e até, acreditem, ninhos de pombos”, discursou. 

De Rosis lembrou que a Câmara de Santos não é omissa aos problemas, porque vários vereadores apresentaram requerimentos e cobranças por melhorias do prédio. “Deputados estaduais, os recém-eleitos e os de outras legislaturas, já evidenciaram o problema. Até emenda parlamentar foi apresentada ao Governo do Estado, que nada fez até agora”. 

O vereador Sérgio Santana (PL), presidente da Comissão de Segurança do Legislativo, disse que a ida dos parlamentares é importante e já promete marcar uma audiência pública para falar do tema. “São várias reclamações dos profissionais de lá sobre as condições precárias”, diz ele.

A vereadora Audrey Kleys (Progressistas) ressaltou a força da Câmara para reivindicar ao Estado uma resposta rápida. “Como está não pode ficar, as pessoas estão correndo riscos”. 

O vereador Augusto Duarte (PSDB) apoia a ação da Câmara, mas saiu em defesa do Governo Estadual. “Com toda a certeza vamos resolver”.