EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

16 de Junho de 2019

Odor de incêndio em armazém de ração incomoda moradores de Santos

Equipes do Corpo de Bombeiro combatem pequenos focos de incêndio. Segundo a corporação, a fumaça do incidente não é tóxica

Mesmo após controlado, o incêndio no armazém de ração da empresa ICC Brazil, no bairro Macuco, ainda incomoda moradores de Santos. Muitos munícipes reclamam que ainda sentem o odor da fumaça em vários cantos da cidade. Segundo o Corpo de Bombeiros, a fumaça proveniente do incêndio inciado no último domingo (14) não causa danos à saúde.

O incêndio, que teve início por volta das 15h30, foi controlado ainda na tarde do domingo. Os bombeiros estão no local há 16 horas combatendo pequenos focos de incêndio, chamados de ponto de ignição, para que o armazém não volte a pegar fogo.

O odor ocasionado pela fumaça é gerado pela queima de um farelo utilizado para ração animal, inclusive de cachorro. O farelo serve de combustível para o incêndio, gerando grande fumaça. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a fumaça gerada pelo incêndio não é tóxica e também não causa danos à saúde, apesar do cheiro ser sentido em locais diferentes de Santos.

Morador do Gonzaga, o servidor público Aldo Rodrigues Ferreira relata que o odor aumentou no período da noite e madrugada. “A minha esposa está grávida, em final de gestação, por causa do cheiro passou muito mal durante a madrugada. Ligamos o ar condicionado para tentar filtrar o ar no quarto, o que minimizou o cheiro”.

O incidente aconteceu na Rua 28 de Setembro, paralela à Rua Padre Anchieta, e um armazém que tem aproximadamente 200m². O telhado do armazém desabou com o incêndio e as paredes apresentavam risco de desabamento, mas as chamas não ofereceram risco de se alastrarem pelo local.

Em nota, a Defesa Civil informa que técnicos  estão no local para averiguação das demais estruturas do imóvel, mas não há riscos para as casas vizinhas.

O armazém ainda permanece isolado e as equipes se encontram no armazém. A causa do incidente ainda é desconhecida. 23 homens e nove viaturas do Corpo de Bombeiro foram mobilizados para combater o fogo no armazém. No local, estavam armazenadas entre 170 e 200 toneladas de levedura de cana de açúcar em sacos plásticos.

Confira a nota da empresa sobre o ocorrido: 

A ICC Brazil informa que o galpão incendiado era utilizado para armazenamento leveduras, uma fonte de proteína para nutrição animal. A combustão da levedura pode gerar odor forte, porém não gera compostos tóxicos. A empresa reitera que não havia produtos químicos armazenados neste local que possam trazer risco a saúde humana. A empresa está colaborando com a limpeza do local para eliminar qualquer transtorno o mais rápido possível.