EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

23 de Abril de 2019

Mocidade Dependente do Samba narra a vida e lenda de Dom Sebastião

O rei mais jovem de Portugal foi morto em batalha

Atual campeã do Grupo de Acesso, a Mocidade Dependente do Samba espera se manter na elite do Carnaval Santista. Em 2015, a escola também havia obtido o acesso, mas caiu em 2016 e lá permaneceu até 2018. Agora, com um enredo sobre a vida e lenda de dom Sebastião, o Rei mais jovem de Portugal, a expectativa é fazer bonito na avenida.  

O presidente Severino Batista de Oliveira, mais conhecido como Tatai, garante que o projeto não foi desenvolvido pensando em rebaixamento. Ele está confiante no trabalho da equipe. Este ano, são 14 alas, três carros alegóricos e 1.200 componentes. “(A escola) vem forte, renovada e bastante motivada”.

De acordo com o dirigente, a agremiação sofreu uma transformação técnica. “Em vez de um carnavalesco, se formou uma comissão de carnaval. Também foram feitas algumas trocas em setores pontuais, como o mestre-sala e o intérprete”.

Tatai acredita que, com criatividade na gestão e nas finanças, o resultado tende a aparecer. O aumento no repasse das escolas foi outro ponto comemorado, pois, segundo ele, vai interferir na “qualidade visual” do que será apresentado ao público.

Enredo

O presidente explica o enredo que será levado à Passarela do Samba Dráusio da Cruz: a história de dom Sebastião, coroado com 3 anos, mas que só assumiu o trono português aos 14.

Será contada a ação militar comandada pelo rei, já com 24 anos, no Marrocos. A intervenção foi em apoio à solicitação do sultão do país Africano, Mulei Mohammed, que estava em conflito com o tio, Abd alMalik (Mulei Moluco), que formou um exército para tomar o poder.

Na Batalha de AlcácerQuibir (em 1578), Mulei Moluco saiu vitorioso, embora tenha morrido, assim como seus dois adversários. A derrota fez Portugal entrar em crise.

Como o corpo do rei português nunca apareceu, nasceu a crença do Sebastianismo, onde acreditava-se que dom Sebastião voltaria para salvar o reino. A escola falará, porém, das histórias oriundas do Nordeste do Brasil, no Maranhão.

Reza a lenda que o rei costuma aparecer, em forma de touro preto, nas noites de lua cheia. Com uma estrela na testa, ele aguardaria algum corajoso quebrá-la e acabar com a maldição.

Ficha Técnica

Cores: Azul, amarelo e branco

Títulos: 3 (Grupo de Acesso)

 Presidente: Severino Batista de Oliveira

Direção: Marcio Pessi

Carnavalesco: Comissão de Carnaval

Intérprete: Fredy Vianna

 Diretor de harmonia: João Carlos

Comissão de frente: Jefferson Dias

Porta-bandeira: Andressa Simpatia

Mestre-sala: Daniel Vitro

Componentes: 1.200

Alas: 14

Carros: Três

 Bateria: 120

Rainha: Juliana Leones

Rainha Mirim: Manu Braga

 

O samba

Mocidade Dependente do Samba

Enredo 2019

A Encantaria de Dom Sebastião nas Dunas de Upaon-Açu

Compositores: Hermes Sobral, Gilson Caffé e Caraúba

Netuno cortando o mar

Esquadra a luz do luar

Um jovem Rei... Guerreiro Cristão

Cego em seus ideais

Não conseguiu avistar

O mal em sua ilusão

Combatido no deserto foi vencido

Viu seus homens sucumbir ao seu destino

E até hoje segue a sua realeza

E a corte a esperar a volta do seu Rei menino

 

Onde estará... Dom Sebastião?

Onde estará... Ninguém sabe ninguém viu!!!

Diz uma lenda que Tambores encantados

Conduziram o grande Rei ao nordeste do Brasil

 

Mistério, magia na praia dos lençóis

Segredos guardados na Ilha do Amor

Dizem que há um Castelo no fundo do mar

Protegido por guerreiros guardiões

E ao brilhar... Sob o clarão da lua cheia

Um Touro Negro entra em cena

Espalhando a tradição

Brilha uma estrela encarnada

Em busca da ressurreição

 

No Rufar do tambor

Ôôô... Ôôô

Canta Mocidade canta...

Viva Dom Sebastião!!!