EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

16 de Junho de 2019

Ecovias não descarta alterar projeto da nova entrada de Santos

Informação foi confirmada pelo coordenador de engenharia da Ecovias, Guilherme Gazabim

A Ecovias não descarta alterar alguns trechos do projeto da nova entrada de Santos para atender a reivindicação dos moradores dos bairros próximos à via Anchieta.

A informação foi revelada, na sexta-feira (12), pelo coordenador de engenharia da Ecovias, Guilherme Gazabim, durante audiência pública realizada pela Comissão Especial de Vereadores (CEV) com a finalidade de acompanhar as reivindicações da população dos bairros São Manoel, Piratininga e Vila dos Criadores, na Sede da Sociedade de Melhoramentos do São Manoel.

Devido as obras da nova entrada de Santos já estarem em andamento, o representante da Ecovias alertou que toda alteração tem um custo, um impacto viário e financeiro. Além disso, ressaltou que a permissão para qualquer mudança deve ter o crivo da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Ficou definido na audiência, devido a sugestão do deputado estadual Caio França, que fosse criada uma comissão de moradores de bairros afetados visando a participação dos mesmos no processo de discussão das alterações que possam ser feitas, além de acompanhar a atuação dos parlamentares no processo.

A audiência foi marcada após o vereador Benedito Furtado (PSB), presidente da Comissão que trata do tema, firmar compromisso com a população de que buscaria diálogo com os deputados estaduais da região visando convencer a empresa Ecovias a mudar o projeto da nova entrada da cidade.

“Há um mês estivemos aqui no bairro realizando audiência pública e eu prometi que faria uma nova audiência trazendo as autoridades que pudessem auxiliar os moradores destas comunidades. Saio daqui confiante de que os deputados possam convencer a Artesp e o Governo do Estado a realizar as obras de interesse da comunidade”, afirma Furtado.

O evento contou com a presença dos deputados estaduais que representam a Baixada Santista na Assembleia, Caio França (PSB) e Kenny Mendes (PP), o coordenador de engenharia da Ecovias, Giuliano Gazabim, o gerente da nova entrada de Santos, Wagner Ramos, o subprefeito da Zona Noroeste, Acácio Egas, além dos vereadores Francisco Nogueira (PT), Audrey Kleys (PP), Sérgio Santana (PR), Telma de Souza (PT) e o assessor do deputado Paulo Corrêa, Guilherme Maxta.

Histórico

A última audiência foi realizada no dia 12 de março, na Sociedade de Melhoramentos do São Manoel, e foi marcada por manifestações calorosas dos moradores dos bairros Piratininga, Alemoa, São Manoel, Chico de Paula, Saboó e Vila dos Criadores, que estão insatisfeitos com o projeto viário e os desdobramentos que as obras da nova entrada de Santos vem causando.

Após o início das obras, munícipes do bairro Piratininga elencaram o surgimento de novas enchentes, assim como a sujeira espalhada pelos pneus dos caminhões que adentram no bairro, além da falta de um representante da empresa Ecovias para atender e anotar as reivindicações da população.

Já a comunidade do São Manoel alegou a dificuldade para acessar e sair do bairro com o novo trajeto elaborado pela Ecovias, deixando a região isolada. O sentimento geral é de que o projeto privilegiou apenas as empresas portuárias prejudicando os moradores que estão há mais tempo no local.