EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

5 de Dezembro de 2019

Central de Agendamentos da Saúde de Santos terá nova empresa

Em até 30 dias, serviço a pacientes na cidade será alterado; hoje, há várias reclamações

Em até 30 dias, Santos terá uma nova Central de Agendamentos da Secretaria Municipal de Saúde. O anúncio foi feito pelo secretário da pasta, Fábio Ferraz. Hoje, o sistema tem uma série de problemas apontados por pacientes e inclusive médicos.

Segundo Ferraz, as pessoas fazem o agendamento de casa, mas surgiu outro problema: o 0800-100836 está sobrecarregado. Em média, ocorrem 19 mil agendamentos por mês via telefone. No entanto, a cidade tem capacidade para algo entre 30 e 35 mil atendimentos nesse período.

A expectativa é de que o novo serviço pule de 19 para 38 atendentes. O lance vencedor foi de R$ 1,6 milhão/ano (R$ 134 mil por mês). O secretário explica que a empresa Access terá metas, após vencidas as etapas de homologação e assinatura do contrato. “Com isso, a gente pretende melhorar o serviço de 0800, que realmente precisa ser aperfeiçoado”.

A doméstica Edilza Maria Ferreira dos Santos, de 38 anos, explica que viveu uma saga para tentar desmarcar uma consulta no dentista da rede pública de saúde de Santos. E, mesmo assim, não conseguiu.

“Minha mãe fez uma cirurgia de catarata e, uma semana depois, teria o retorno. Como seria no mesmo horário do meu médico, fiquei todos esses dias tentando desmarcar pelo 0800. Como não consegui, fui pessoalmente no Ambesp da Conselheiro Nébias e me disseram que não podiam fazer nada. Tinha de ser pelo telefone mesmo”.

Segundo a doméstica, a mensagem ouvida no telefone era de que todas as linhas estavam ocupadas. “Eu fui atrás, liguei incontáveis vezes e nada. Agora, minha preocupação é ter de voltar à policlínica para pegar um novo encaminhamento médico e aguardar meses numa fila de espera”.

Outros problemas

Segundo uma médica da rede pública de Saúde, que prefere não se identificar com medo de represálias, são muitas reclamações feitas pelos pacientes. “O 0800 liga para a pessoa a qualquer hora do dia ou da noite. Vários pacientes, em especial os mais velhos, temem que seja trote”.

Ela explica que outro problema tem a ver com a impossibilidade de remarcar uma nova data. “Quando a pessoa fala que não pode ir na data agendada, nada pode ser feito na hora. É preciso que o paciente ligue para o 0800 e escolha essa opção”.

A ligação também só pode ser feita de telefone fixo, explica a profissional. “Hoje, as pessoas só usam celular. Quase ninguém tem telefone em casa. Fora que esse número só dá ocupado. Dificilmente alguém consegue falar. Ninguém atende”.

Algo que a preocupa é o fato de chegar para atender e ver a agenda cheia sabendo que nem todos os pacientes vão. Segundo ela, muitos não conseguem avisar. “Outra pessoa poderia ser atendida”.

Sobre os problemas citados, a Prefeitura explica que os agendamentos são feitos de acordo com a ordem cronológica do pedido e urgência do caso.

Tudo sobre: