EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

23 de Agosto de 2019

Arena Santos vai receber obras de acessibilidade

Com prazo de execução de quatro meses, a obra deve começar no segundo semestre deste ano

A Prefeitura de Santos vai realizar uma modernização nos dispositivos de acessibilidade da Arena Santos, na Vila Mathias. O motivo é possibilitar o livre acesso de forma autônoma de pessoas com qualquer condição física por todo o ginásio poliesportivo. O edital de licitação para contratar a empresa que fará as obras está sendo preparado e seu lançamento deve ocorrer neste semestre.

“A legislação vai se aperfeiçoando com o tempo e as normas de acessibilidade de 2010, quando a Arena Santos foi entregue à população, precisam ser atualizadas”, diz a arquiteta Maria Valéria Affonso, chefe do Departamento de Planejamento de Obras.

Com prazo de execução de quatro meses, a obra deve começar no segundo semestre deste ano, sob o gerenciamento da pasta de Infraestrutura e Edificações (Siedi). Foi orçada em R$ 898 mil, incluindo materiais, mão de obra e equipamentos. A verba é do Fundo de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista.

Vestiários e sanitários

Os vestiários e sanitários masculinos ganharão itens para proporcionar melhores condições de utilização por pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Trata-se de barras de apoio, portas de correr acessíveis, lavatórios apropriados dotados de torneira volante tipo alavanca, trocadores acessíveis, alça de acionamento de válvula de descarga.

Pisos cerâmicos serão substituídos por pisos antiderrapantes; e ocorrerão modificações de instalações hidráulicas e acessórios, como saboneteiras e papeleiras, tudo para proporcionar condição de alcance, percepção e entendimento para utilização.

Acessibilidade inserida nos detalhes

Na área externa serão construídas rampas com inclinação máxima de 8,33% e passeios em concreto desempenado, com pintura em tinta acrílica de alta resistência a abrasão. Estão previstos reparos em piso de ladrilho hidráulico, colocação de corrimãos e gradis, além de novas guias, sarjetas e tubos para drenagem, com substituição de grelhas de concreto para boca de lobo.

As escadas e rampas internas terão corrimãos e faixas de policarbonato com sinalização visual que emitir brilho em ambientes totalmente sem luz, permitindo a leitura de avisos e símbolos. Os pisos dos degraus das escadas serão ampliados de 20 para 30 cm de largura, para maior segurança. Haverá também alteração no sentido de abertura do portão tubular.

Comunicação visual

O projeto prevê comunicação visual por meio de pisos podotáteis direcionais e de alerta, com relevo e cor. Os pisos direcionais, com vários retângulos, significam que a pessoa pode andar com segurança; já os pisos de alerta possuem pequenos círculos avisando alteração de nível do piso, irregularidades, proximidade de escadas, elevadores e obstáculos suspensos.

Pequenas placas em Braille e em baixo relevo indicam aos deficientes visuais em que pavimento estão, sempre no início e no final dos corrimãos de escadas fixas e rampas. No estacionamento haverá identificação das vagas para idosos, gestantes e cadeirantes, através de sinalização com os respectivos pictogramas, que são os desenhos padronizados.