EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

19 de Julho de 2019

Rotary retoma ações da Casa da Esperança de Cubatão, após crise

Após pouco mais de quatro meses de intervenção, atendimento recomeça

Unidade voltou a atender 316 crianças e adolescentes (Foto: Alexsander Ferraz/AT)

Com pouco mais de quatro meses de intervenção sob a responsabilidade de gestores do Rotary Clube, a Casa da Esperança de Cubatão conseguiu superar uma crise que se arrastava desde setembro de 2013 e voltou a atender 316 crianças e adolescentes com necessidades especiais. O sucesso da iniciativa foi destacado na última semana pelo Conselho Municipal de Saúde e reconhecido pela secretária de Saúde cubatense, Andrea Pinheiro.

Mesmo lutando contra a falta de recursos, o interventor judicial dessa organização social, Hermes Balula, anunciou que contratará profissionais para atender cerca de 200 outros pacientes com até 18 anos – sobretudo autistas – que aguardam vaga em uma lista de espera que não para de crescer. 

Balula quer ajuda para resolver mais um problema: a região só tem um centro conveniado com o Estado para atender autistas, em São Vicente. Ali, a espera passa de dois anos.

Dinheiro 

Em julho, ainda sob a intervenção da Prefeitura de Cubatão, sem dinheiro para pagar salários atrasados há três meses e enfrentando um passivo trabalhista de cerca de R$ 250 mil, a Casa da Esperança viu os seus 28 funcionários cruzarem os braços. 

Prometendo ajuda para pagar as contas do passivo trabalhista e ajudar a manter a entidade, o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) convenceu o Rotary Clube a assumir a intervenção. Na época, o clube era presidido por Hermes Balula, e seu irmão Sérgio, um dos diretores da instituição. 

Na quarta-feira, em audiência, o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Alessandro Donizete de Oliveira, reafirmou que a Casa da Esperança supre uma necessidade de atendimento cuja responsabilidade é da Prefeitura e do Estado. “Ela sempre teve e sempre terá o nosso apoio”, disse ele.

Apesar das dificuldades, Hermes Balula mantém a expectaiva de receber a ajuda e, principalmente, o apoio de empresas e indústrias de Cubatão, às quais foram encaminhados novos projetos de apoio a programas de atendimento.

Compromisso 

O apelo encontrou resposta da secretária municipal de Saúde, Andrea Pinheiro. Ela se comprometeu a liberar a renovação do contrato da Prefeitura com a entidade nesta semana. E vai promover nova reunião nos próximos dias para buscar alternativas para encontrar mais recursos e reduzir a lista de espera de três anos, e 200 pacientes, à espera de atendimento – a maioria, autistas.

Na ocasião, o vereador Toninho Vieira (PSDB) – único representante do Legislativo presente – disse que vai destinar todo o valor dos recursos de emendas orçamentárias a que tem direito anualmente para ajudar a Casa da Esperança. E vai pedir aos demais vereadores que reflitam sobre a importância de apoiar a Cidade a manter a saúde física e mental de pessoas com necessidades especiais.