Praia Grande ajusta Plano Municipal de Retomada das Aulas

Estratégia da Secretaria de Educação adota protocolos para o retorno dos alunos às atividades presenciais

A Secretaria de Educação (Seduc) de Praia Grande realiza os últimos ajustes ao Plano Municipal de Retomada as Aulas nas 78 unidades da rede municipal de ensino. Em reunião com técnicos da Secretaria de Saúde (Sesap), técnicos da pasta detalharam protocolos e medidas de segurança de como deve ocorrer o retorno dos cerca de 55 mil alunos às escolas. Ainda não há uma definição de data de quando isso deva ocorrer. 

Clique e Assine A Tribuna por apenas R$ 1,90 e ganhe acesso completo ao Portal e dezenas de descontos em lojas, restaurantes e serviços!

Segundo a secretária de Educação de Praia Grande, Cida Cubilia, as ações que serão adotadas têm como objetivo garantir a segurança sanitária de alunos, professores e funcionários. Com isso, os técnicos da Saúde ficarão responsáveis em analisar os pontos propostas e dar o aval à continuidade do processo. 

Cida Cubilia detalha que o Plano Municipal de Retomada das Aulas terá o cuidado de avaliar os alunos que podem voltar neste primeiro momento a rotina escolar. “Estamos fechando o nosso processo, para adotar as medidas mais seguras. Em um segundo momento, iremos, com o Plano Municipal fechado, orientar as equipes técnicas de que forma ocorrerá essa retomada. 

Segundo o médico reumatologista, Eduardo Yabuta, a estratégia da pasta praia-grandense segue os critérios rigorosos do Estado de São Paulo. “Trata-se de um plano que pauta pela segurança, não somente dos alunos, mas também do corpo docente e demais funcionários. Agora iremos adequar ainda mais a realidade do Município”, destacou. 

Para Yabuta, o cumprimento de questões básicas como o uso correto da máscara e a limpeza correta das mãos, seja com álcool em gel ou lavando com água e sabão, serão fundamentais para garantir a segurança nessa retomada.  

“A retomada está cada vez mais segura, ainda mais pelo fato de a vacina está próxima de se tornar uma realidade. Elas têm uma chance enorme de bloquear a evolução da epidemia”. 

Tudo sobre: