EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Pedreiro aguarda retirada de cisto gigante em Praia Grande: 'Me dá vergonha'

Cisto é benigno e começou a crescer há 20 anos; paciente aguarda cirurgia pelo Sistema Único de Saúde

Um morador de Praia Grande aguarda ansiosamente o agendamento de uma cirurgia pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Há 20 anos com um cisto gigante no rosto, o pedreiro Osvaldo Paulo de Lima, de 56 anos, espera resgatar a autoestima após o procedimento: "é difícil ter um rosto assim".

Em entrevista para A Tribuna On-line, o pedreiro contou que o "caroço" em seu rosto surgiu de maneira discreta. "Começou a crescer há 20 anos. Era bem pequenininho, mas eu não dei atenção. Era um líquido e começou a virar massa, aí ficou assim", relembra.

Após a lateral do rosto de Oswaldo começar atingir o tamanho atual, ele procurou ajuda médica. No Pronto Socorro, uma profissional explicou que o cisto era benigno e ficou sólido, só podendo ser retirado por meio de cirurgia.

Desde então, ele procurou a Unidade Básica de Saúde (UBS) do bairro Jardim Esmeralda, foi encaminhado ao Centro de Especialidades Médicas, Ambulatoriais e Social (Cemas) e também recebeu atendimento no Hospital Guilherme Álvaro (HGA), em Santos.

O pedreiro afirma que o nódulo é indolor e não o atrapalha ao comer, mas que vem dificultando a sua fala. Quanto a autoestima, ele explica que atrai os olhares dos demais ao chegar em locais, algo que o deixa incomodado. "Eu sou um ser humano. É difícil ter um caroço deste tamanho no rosto. Me dá vergonha", desabafa.

Em nota, a Secretaria de Saúde do Estado esclarece que o último atendimento ao paciente foi uma tomografia, realizada em 2014. Já a Secretaria de Saúde Pública (Sesap) de Praia Grande informa que o paciente em questão não compareceu as duas consultas agendadas no Centro de Especialidades Médicas (Cemas), nos dias 7 de maio de 2019 e, recentemente, na última terça-feira (15).

A Sesap explica que sem a avaliação do especialista, não é possível dar sequência ao atendimento. A Sesap solicita ainda que o paciente compareça a Usafa que está cadastrado para que possa retomar o atendimento.

Tudo sobre: