EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

20 de Maio de 2019

IML de Praia Grande volta a ter legista após trocas entre unidades

Médica que foi à cidade é de Santos, que recebeu profissional de SP para cobrir mudança

Um dia após denúncia publicada em A Tribuna, o Instituto Médico Legal (IML) de Praia Grande voltou a ter médico legista depois de quase uma semana. Uma profissional foi deslocada da unidade de Santos para a de Praia Grande. E, para cobrir a mudança, um legista veio de São Paulo para atuar até às 17h de quinta-feira (4) em Santos.

A falta de funcionários para atuar nos IMLs da Baixada Santista é antiga, diz o presidente do Sindicato dos Peritos Criminais do Estado, Eduardo Becker.

Para o sindicalista, o fato de o governador João Doria (PSDB) ter anunciado que haverá nomeação de profissionais para a Polícia Científica prova que ele reconhece o deficit de servidores. “Falta apenas a decisão política do governador de quando será assinada a autorização das nomeações”.

Segundo dados do estado, há 344 vagas para a carreira de perito criminal em aberto, pois o total de postos é de 1.735 e estão ocupados 1.391.

Estado

A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que representantes do IML e do Núcleo de Perícias Médico-Legal de Santos se reuniram na quinta-feira a fim de discutir ações efetivas para melhorar o atendimento na região. Porém, não deu detalhes da conversa.

“Em março deste ano, o Governo do Estado nomeou 449 novos policiais técnico-científicos, entre peritos, médicos legistas, desenhistas e fotógrafos, que serão distribuídos a todas as regiões do estado após a conclusão do curso de formação. Novos certames serão abertos de acordo com a necessidade e a disponibilidade de recursos. Inclusive, a proposta da atual gestão é realizar concursos anuais para todas as polícias”, explicou a secretaria, em nota.

O presidente do Sindicato dos Peritos Criminais do Estado rebate. “Não houve nomeação desses profissionais ainda. Outra questão é que não tem curso de formação em andamento.”

Políticos

Enquanto a Reportagem estava no IML de Praia Grande, o vereador Leandro Avelino (PSB) foi ver a situação do local. “A legista me explicou que, no fim da semana passada, veio uma decisão do Governo do Estado para que quatro dos cinco médicos que atuam na cidade fossem atender em Santos, que teria uma necessidade maior por causa de aposentadorias e licenças nos últimos tempos”, disse.

Segundo o vereador, o objetivo é debater o problema na Câmara Municipal e “manter o umbigo no balcão, para verificar se a questão é resolvida. [...] É preciso fazer pressão e cobrar”. O deputado estadual Wellington Moura (PRB), nascido em Santos, disse ter conversado como governador sobre a questão. “Ele se prontificou a resolver o problema pra que a unidade da Praia Grande possa continuar funcionando.”

O também deputado estadual Caio França (PSB) fez um requerimento questionando e explicando as condições dos equipamentos e a falta de servidores, além de estar em contato com o superintendente da Polícia Técnico Científica, Mauricio Rodrigues Costa.