Fiéis realizam culto na chuva após temporal destruir igreja em Praia Grande

Wellington Souza, pastor responsável pela igreja, busca doações para reaver os prejuízos deixados pela tempestade

Uma igreja foi destruída pela força de um temporal no último dia 18, em Praia Grande. A ventania arrancou um portão de metal que ficava na frente do galpão, destruiu telhas, forro e grande parte da lateral direita da igreja. Além disso, a chuva quebrou ventiladores, caixas de som, microfones, projetor de imagem e grande parte da iluminação do local.

Wellington Souza, pastor que comanda a igreja Comunidade Apostólica Árvore da Vida, contou que o vendaval começou pela praia, seguiu pela Avenida Osasco e se concentrou basicamente dentro do bairro em que se localiza a igreja. Havia uma pessoa no local quando tudo começou. Cristiano Matos, que apesar de não ter ficado ferido, ficou muito assustado com o temporal e foi buscar ajuda com outros membros da igreja.

Ventania destruiu telhas, forro e grande parte da lateral direita da igreja (Foto: Wellington Souza/Arquivo Pessoal)

Wellington estava trabalhando quando soube. Ele recebeu um telefonema e logo pegou o celular para ver as fotos. “A primeira sensação é de tristeza, muita tristeza, choro entalado. Como pastor, a gente tem que engolir o choro, para poder ser forte e fortalecer os outros. Nós não temos a oportunidade de chorar a nossa dor”, desabafou.

Porém, uma coisa o consolou. Wellington lembrou de uma campanha que ocorreu na igreja, chamada “Depois da tempestade”, na qual, durante sete semanas, foram ouvidos ensinamentos sobre as coisas boas que acontecem depois dos problemas. “Isso trouxe conforto ao meu coração. Eu saí de Santos, fui à igreja, o pessoal estava muito entristecido, todos chorando, me abraçando e me dando palavras de conforto. Juntei as pessoas ali na frente da igreja mesmo e tentei consolá-las, dizendo que tudo ia ficar bem” relatou.

O templo possui 5 metros de altura, ou seja, precisa de uma mão de obra especial para restauração (Foto: Arquivo Pessoal/ Wellington Souza)

O pastor conta que, agora, estão realizando os cultos na rua lateral da igreja, onde podem se reunir. “Estamos realizando os cultos debaixo de chuva mesmo. As paredes do templo foram danificadas, o telhado foi destruído, mas a igreja está intacta, porque a igreja somos nós mesmos. Então, nós estávamos lá, como igreja do lado de fora, sem teto, mas muito felizes adorando ao nosso Deus”, disse.

Wellington diz que as pessoas estão mais motivadas do que entristecidas, e que o acontecido aproximou mais os fiéis. “Essas destruições têm a força de ativar a solidariedade das pessoas. Estávamos lá com alegria, glorificamos a Deus por tudo, por ninguém ter se ferido. Estamos buscando força para nos reerguermos novamente”, apontou.  

A pretensão de Wellington é reconstruir a igreja por meio da solidariedade. “Não temos muito o que fazer. Os danos foram muito altos, e a igreja não possui fundos para arcar com o prejuízo. Precisamos de mão de obra especializada, pois o teto da igreja é alto, e todos os equipamentos precisam ser substituídos”, disse.

Ventania arrancou também o portão de metal que ficava na porta do galpão (Foto: Wellington Souza/Arquivo Pessoal)

O pastor conta que toda a comunidade local está ajudando. Os fieis estão empenhados, falando e replicando os vídeos nas redes sociais, e tentando de alguma forma. “É bonito de ver, porque são pessoas que não têm tantas posses, são trabalhadores de origem humilde, mas que se dispõem a oferecer o pouco que têm pra ajudar”, relatou.

Wellington pede ajuda para as pessoas que puderem colaborar com a igreja. "Apesar da dor de ver tudo se perder, eu creio e acredito que as coisas vão ficar mais bonitas depois de reconstruir. A igreja precisa ser resiliente, porque por problemas sempre passaremos, e dificuldades sempre teremos, Mas, é como nos comportamos em meio às dificuldades que determina quem somos e em quem confiamos”, finalizou.

Tudo sobre: