EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

22 de Novembro de 2019

Família de jovem morto em afogamento desabafa sobre liberação do corpo, em PG: ‘difícil’

Corpo foi encontrado na manhã da última terça-feira (22), mas só poderia ser liberado no dia seguinte devido à ausência de médico legista

A família do jovem turista de Suzano, que morreu afogado em Praia Grande, aguarda um ponto final em seu luto. Encontrado na manhã da última terça-feira (22), o corpo de Lucas Barbosa de Oliveira, de 17 anos, não foi liberado até a manhã seguinte devido à ausência de médicos legistas no Instituto Médico Legal de Praia Grande (IML). 

Em entrevista para A Tribuna On-line, o primo do jovem, Felipe de Oliveira Barbosa, explica que a família da vítima desceu a serra com destino à Praia Grande após ser informada que o corpo havia sido localizado na praia do Canto do Forte, em Praia Grande, por volta das 7h30.  

Cerca de três horas depois, já em Praia Grande, a família aguardava notícias sobre a liberação do corpo para realização do sepultamento. Segundo o parente, de 22 anos, o corpo foi encontrado em um trecho da praia pertencente ao Exército Brasileiro e o registro do Boletim de Ocorrência demorou para ser realizado.  

"Quando chegamos ao IML fomos informados que não seria possível liberar o corpo no mesmo dia por não ter um médico legista na unidade. Ele estava lá até às 11h e foi para Guarujá porque estavam sem profissionais lá. Ainda nos explicaram que a equipe que está atendendo a Baixada Santista é formada por pessoas de Santo André", comenta Felipe. 

Enquanto tentavam encontrar uma forma do corpo ser periciado no mesmo dia, a família optou por ficar no IML de Praia Grande, localizado na Rua José Júlio Martins Batista, 225, no bairro Vila Antártica. Foi durante a espera que a família se sentiu incomodada com o tratamento recebido. 

"A atendente nos perguntou o por quê ainda estávamos lá já que 'estava tudo certo'. Mas conseguimos ouvir conversas paralelas entre as funcionárias que diziam não entender 'a pressa para o corpo ser liberado já que nem velório teria'. É bem difícil ouvir isso porque estávamos passando por um momento difícil", desabafa. O corpo de Lucas Barbosa será sepultado no Cemitério Colina dos Ipês, em Suzano. 

Em nota, o IML esclarece que o corpo do jovem foi liberado à família nesta quarta-feira (23). O Instituto lamenta o ocorrido e informa que instaurou um procedimento administrativo para apurar todas as circunstâncias do atendimento. A Secretaria de Segurança Pública ressalta que já foi autorizada a abertura de concurso para a contratação de 189 médicos legistas a serem alocados, após a formação, em todas as unidades do IML no Estado.

Caso 

O jogador de futebol Lucas Barbosa de Oliveira, de 17 anos, desapareceu no mar no último domingo (20), após entrar na água acompanhado da namorada. O casal começou a se afogar, mas a jovem chegou a ser socorrida na faixa de areia. Equipes do Grupamento de Bombeiros Marítimos (Gbmar) realizaram buscas no trecho, mas o corpo não havia sido encontrado até a manhã da última terça-feira (22). 

Tudo sobre: