EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

20 de Junho de 2019

Volume de água reduz em Peruíbe e moradores voltam para suas casas

Após chover mais de 400 milímetros em alguns bairros, não há registro de chuvas na cidade desde quarta-feira

Depois de registrar as maiores precipitações da história em um curto intervalo de tempo, a cidade de Peruíbe não registrou mais chuvas desde a última quarta-feira (10). Foram mais de 400 milímetros em vários bairros – a média histórica do mês de abril é de 192,65 mm em 30 dias.

Com a redução do volume de água nas ruas da cidade, moradores começaram a retornar para suas casas. 30 pessoas já deixaram os abrigos e o número de acolhidos baixou para 170. 120 pessoas ainda estão no NAES – Núcleo de Ações Educativas e Sociais e 50 no Centro Comunitário do Caraminguava.

Volta às aulas

As aulas voltaram ao normal nas EMEI Caraminguava III e IV nesta sexta-feira (12). Apenas a EMEF Profª Carmen Cleuser Fraga Pimentel, no Caraguava, continua sem aulas em razão de alagamento nas proximidades, que dificultam a chegada de alunos, funcionários e professores na unidade.

Alagamentos

Os alagamentos permanecem em alguns pontos por conta dos canais cheios. O escoamento foi prejudicado pelo nível do Rio Preto, que ainda se encontra sem condições de desaguar normalmente no mar, uma vez que as marés permanecem mais altas do que o normal.

O Fundo Social de Solidariedade (FSS) de Peruíbe recebe doações de colchões, roupas de cama, roupas de banho, cobertores, fraldas descartáveis de tamanhos M e G, produtos de higiene pessoal e alimentos não perecíveis.

O FSS funciona na Avenida São João, 664, Centro, durante o dia. À noite e madrugada, as doações devem ser feitas na Guarda Municipal, na Rua Rio de Janeiro, 310, bairro Stella Maris.