Prefeito de Peruíbe critica ação de vereadores durante fiscalização na UPA

Luiz Maurício (PSDB) disse que atitude trouxe "verdadeiro desrespeito aos pacientes internados e aos profissionais de saúde". Chefe do Executivo enxerga motivação política

O prefeito de Peruíbe, Luiz Maurício (PSDB), se posicionou, na noite desta terça-feira (6), sobre a confusão registrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) durante uma fiscalização realizada por dois vereadores do município.

Na noite da última segunda-feira (5), os parlamentares Toni Matos (Podemos) e Dr. Bruno (PSDB) foram até a unidade após receberem denúncias de que 10 de 13 respiradores do local não estavam funcionando. Ambos pediram para ver os equipamentos, mas foram informados que precisavam de uma autorização prévia para isso. Contudo, a dupla voltou a frisar que eram vereadores e teriam direito de realizar a vistoria. Após uma grande discussão, os homens foram convidados a se retirar da UPA pela polícia sem realizar a vistoria.

Em uma publicação em seu perfil no Facebook, o chefe do Executivo de Peruíbe disse que a ação dos parlamentares "além de exposição desnecessária, trouxe verdadeiro desrespeito aos pacientes internados na UPA e aos profissionais de saúde que lá estavam exercendo suas atividades".

Luiz Maurício comentou que a situação causou confusão no fluxo de atendimentos, trânsito de pessoas não autorizadas e não paramentadas no setor covid, além de causar pânico aos familiares dos pacientes. Ainda de acordo com o prefeito, os responsáveis técnicos das áreas de enfermaria e médica publicaram uma nota de repúdio criticando a forma que foi conduzida a ação de fiscalização.

O tucano classificou a atitude dos vereadores como um ato político. "Além de transmissão ao vivo da ação houve verdadeiro incitamento da população para irem à unidade protestar, induzindo a população a erro na versão trazida às redes sociais, sem nem mesmo fazer qualquer pré-averiguação da veracidade da 'denúncia', trazendo tumulto e revolta na unidade, em especial aos profissionais de saúde que estavam lá trabalhando e vendo seu serviço ser prejudicado".

Equipamentos funcionando

O prefeito informou que Peruíbe possui 13 respiradores, sendo que 12 deles estão funcionando. Ainda de acordo com o chefe do Executivo, não há histórico de pacientes que tenham ficado na unidade sem atendimento com respiradores em razão da falta de aparelho em funcionamento.

Luiz Maurício destacou que, nesta terça-feira, foi solicitado à empresa Medical Tech Manutenção Hospitalar a realização de um laudo de avaliação de todos os respiradores da UPA. "Foi confirmado que temos 12 respiradores em pleno funcionamento na unidade."

Por fim, o tucano informou que foi instaurado um procedimento administrativo para apuração de faltas disciplinares. Além disso, foram expedidos ofícios ao Conselho Regional de Medicina (CRM) e ao Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN) para apuração de eventual ofensa por parte dos organizadores da fiscalização aos profissionais de saúde que estavam em efetivo exercício na unidade. Outro ofício foi enviado ao Ministério Público informando dos fatos e encaminhando cópia do laudo dos respiradores.

Tudo sobre: