EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

20 de Junho de 2019

Motoristas de ônibus entram em greve e deixam Peruíbe sem transporte público

Categoria diz que não recebeu pagamento do vale salarial; empresa diz que Prefeitura tem dívida de R$ 3 mi

Moradores de Peruíbe que dependem do transporte público para se locomover levaram um susto na manhã desta segunda-feira (26). Os 28 ônibus que fazem o transporte municipal não saíram da garagem, devido à greve dos motoristas da empresa Jundiá Transportes. Eles reclamam do atraso no pagamento do vale salarial.

Os reflexos da falta de ônibus foram sentidos desde as 4h da manhã desta segunda. Segundo o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Santos e Região (Sinrod), os profissionais não receberam o vale correspondente aos 40% do salário de novembro, que teria que ter sido pago na última terça-feira (20).

O repasse havia sido acertado conforme acordo coletivo de trabalho, e a falta de cumprimento dele resultou na paralisação espontânea dos 130 empregados da empresa. Em outubro, outra greve já havia acontecido, devido a atrasos nos salários de julho e agosto. Os salários foram pagos nos dois meses subsequentes.

Ainda segundo o sindicato, os trabalhadores da empresa só devem retornar aos postos após o pagamento dos valores atrasados, ou caso seja necessário cumprir liminar da Justiça do Trabalho.

Os 28 ônibus da empresa não saíram da garagem, nesta segunda (26), em Peruíbe (Foto: Divulgação)

Dívida de milhões

Para A Tribuna On-line, a Jundiá Transportes justifica que a paralisação acontece devido a pendências de pagamentos da Prefeitura de Peruíbe à empresa. Hoje, a Administração Municipal deve R$ 3.663.061,73. Destes, R$ 600 mil são de um acordo de pagamento devido a atrasos de repasses em 2016.

A empresa reitera que tem negociado com a Prefeitura e com o sindicato, e que aguarda o pagamento dos valores, já que o que tem entrado em caixa não é suficiente para realizar o adiantamento da folha dos funcionários.

A Jundiá também diz manter 'seus esforços diuturnamente para manter os serviços em operação da melhor maneira possível'.

Já a Prefeitura de Peruíbe disse ter conhecimento do problema e que o monitora. A Administração Municipal diz que a greve é ilegal e que o departamento jurídico municipal já está tomando as providências cabíveis.

Segundo a Prefeitura, cerca de 1,5 mil pessoas usam o transporte público diariamente e foram afetadas, além de cerca de 3 mil estudantes. Ainda na manhã desta segunda, uma notificação será enviada à empresa.