EDIÇÃO DIGITAL

Sexta-feira

10 de Julho de 2020

Litoral Sul elabora medidas para garantir a retomada das atividades comerciais

Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe planejam a retomada das atividades econômicas, em meio às ações para reduzir a taxa de contágio de Covid-19

As cidades da Baixada Santista iniciaram, nesta quinta-feira (11), a fase laranja do Plano São Paulo de retomada econômica. A reclassificação dentre os parâmetros técnicos estabelecidos pelo governo do Estado faz com que os municípios do Litoral Sul preparem regras locais para flexibilizar o comércio.  

Itanhaém, Mongaguá e Peruíbe já elaboram conjunto de medidas para garantir a retomada das atividades econômicas, em meio às ações para reduzir a taxa de contágio de Covid-19. Tal preocupação se deve ao fato de que a melhora nesse indicador pode representar o ingresso da Baixada Santista na fase amarela (a intermediária no plano estadual), a partir do dia 29 de junho. 

A possibilidade foi informada na quarta-feira (10), pelo secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Segundo ele, apenas a taxa de ocupação de leitos (na cada de 70%) para o tratamento de Covid-19 impediu a elevação da Baixada Santista ao patamar intermediário no Plano São Paulo. Essa classificação permitiria regras menos rígidas para abertura do comércio local. 

Enquanto a região vive a expectativa do “viés” amarelo – que pode ser aplicado em até 15 dias – os municípios finalizam regras para a reativação econômica. Esse regramento está em estudo desde a semana passada, quando os nove prefeitos da Baixada definiram por seguir os dados regionais, que já alocavam as cidades no parâmetro laranja.  

Contudo, a aplicação da regra só começa a sair do papel após a revisão do Palácio dos Bandeirantes. A Prefeitura de Itanhaém, por exemplo, afirma ter publicado, na quarta-feira (10) o decreto que institui o plano com as normas para o funcionamento do comércio e serviços, seguindo as diretrizes do Governo Estadual.  

O prefeito de Mongaguá, Márcio Melo Gomes, avaliou como positiva a reclassificação, mas fez um apelo à população e aos comerciantes para que adotem os protocolos de combate à pandemia, utilizando máscaras e álcool em gel, além de manter o distanciamento social.  Já Peruíbe, publicará decreto na próxima semana. 

Conflito de datas 

O entendimento local, contudo, contradiz o que o secretário estadual de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, frisou ao anunciar a mudança, na tarde de quarta-feira (10). Na ocasião, o representante do Palácio dos Bandeirantes afirmou que as novas regras só passam a valer na segunda-feira (15).  

Desta forma, na visão do secretário, região permanece sob as regras da fase vermelha (classificação mais rígida dentre as cinco etapas de reativação econômica do Estado) até domingo (14). Por sua vez, o governador João Doria (PSDB) criticou os prefeitos que não estão seguindo as  regras paulistas, exigindo intervenção da Justiça, como no caso de São Vicente e Guarujá. 

“Os poucos prefeitos rebeldes que tentam relaxar onde não devem estão sendo barrados pela Justiça. Todos os prefeitos que tomaram a liberdade de abrir, tiveram que fechar. Portanto, é melhor que não o façam, porque chega a ser vexatório reabrir e menos de 48 horas ter que fechar”, afirmou Doria 

Em nota, a prefeitura de São Vicente informou que não havia sido notificada da intimação do Tribunal de Justiça do Estado. No entanto, está se preparando para adequar a  flexibilização do comércio à orientação do Estado. Guarujá acatou a decisão judicial e adotará, a partir de segunda-feira (15) a reativação de setores previstos na classificação laranja. 

Tudo sobre: