EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

9 de Agosto de 2020

Itanhaém registra queda no indicador de mortalidade infantil

Administração dos serviços de pré-natal e capacitações para os profissionais da atenção básica tem demonstrado evolução no índice de saúde

O índice de mortalidade infantil em Itanhaém alcançou a marca de oito óbitos a cada mil nascidos vivos, segundo dados preliminares do Governo Estado de São Paulo. Trata-se da menor na taxa regional deste indicador, que é um dos principais parâmetros de avaliação de saúde pública. Investimentos em pré-natal e de formação de profissionais da atenção básica são apontados pela prefeitura para a melhora nos números.  

Em 2019, a mortalidade infantil – principal indicador social representado pelo número de crianças que morreram antes de completar um ano de vida a cada mil nascidas vivas no mesmo período – em Itanhaém foi de 17,4. O resultado colocou a cidade entre as que têm a mais elevada taxa regional e representou um aumento comparado ao mesmo período do ano anterior, que registrou 12,3 (2018).  

Os números foram bastante promissores em 2017: 7,6 por mil crianças nascidas vivas, que representam 1.447 nascidos com vida e onze mortes. Segundo os dados preliminares, agora, taxa de mortalidade chegou a 8,0 em 2020, confirmando uma tendência de queda.

A indicação decrescente também pode ser observada em 2016, quando Itanhaém registrou 1.338 nascidos vivos e 16 óbitos. O índice de mortalidade de crianças de até um ano de idade diminuiu nos relatórios anuais analisados nos anos 2014 e 2015, de 14,04 para 12,90, respectivamente.  

O índice foi destacado pela Secretaria Municipal de Saúde que avalia a taxa como sendo significativa na cidade. O resultado do trabalho das equipes é uma soma de forças de representantes de diversos setores da saúde, social e atuação do Comitê Municipal de Prevenção do Óbito Materno, Fetal, Infantil e Transmissão Vertical do HIV e Sífilis. Eles se reúnem uma vez por mês para analisar os falecimentos, as causas e propõem interferências para que eles não ocorram novamente. 

Na cidade, há o Centro Especializado na Saúde da Criança e da Mulher (Cescrim Paula Vegas), localizado na Avenida Tiradentes, 184, Jardim Mosteiro. O espaço tem como prioridade o cuidado com a criança e a mulher em situações de risco de saúde e vulnerabilidade social. Elas são encaminhadas pelas Unidades de Saúde da Família (USFs) após avaliação médica. As gestantes fazem sete ou mais consultas de pré-natal, uma das melhores coberturas da região.  

Com uma equipe atuante em projetos voltados à redução da mortalidade infantil, o Cescrim faz o acompanhamento de gestantes e crianças em situações de risco em consonância com as USFs. Nas unidades, as mulheres são acompanhadas mensalmente até a 28ª semana de gestação, e as consultas vão ficando menos espaçadas ao longo da gravidez.

Tudo sobre: