Cachorra quebra as patas ao tentar pegar gambá em Itanhaém e precisa de cirurgia

Sem poder arcar com os custos, donos do animal criaram vaquinha virtual para arrecadar o valor

Um acidente doméstico fez a cachorra Teka fraturar as duas patas da frente. Ao avistar um animal em cima do muro de casa, em Itanhaém, no Bairro Belas Artes, ela tentou espantá-lo, mas tropeçou nas escadas. Agora ela não consegue ficar em pé, nem para fazer as necessidades fisiológicas, e precisa passar por cirurgia. O valor do tratamento está avaliado em R$ 2,5 mil. 

A família, que não tem como arcar com os custos, decidiu criar uma vaquinha virtual e pede qualquer quantia que ajude a chegar no valor total. Antes, o animal foi levado à clínica de uma ONG, mas ela não tinha a especialidade. 

O autor da vaquinha, Matheus Souza Santana, diz que a família não sabe o que irá fazer caso o valor não seja arrecadado. Ele é neto de Luzilene de Souza Silva, de 59 anos, que adotou o animal há dez anos após vê-la ser jogada de dentro de um carro, em São Paulo. 

A cirurgia de Teka está prevista para acontecer nesta quarta-feira (9). “Se não conseguimos arrecadar o valor, vai ficar bem complicado. De imediato, não temos esse dinheiro”, afirma Santana. 

Inicialmente, o valor seria de R$ 1,5 mil para cada pata quebrada. Após uma conversa, a família conseguiu que a quantia ficasse em R$ 2,5 mil, sendo que R$ 200 são referentes aos medicamentos necessários. O restante é pelo procedimento cirúrgico. 

O acidente de Teka aconteceu na madrugada de quarta (2) para quinta (3). Santana conta que ela se assustou ao ver um saruê, espécie de gambá, caminhando pelo muro de casa. Ao correr para espantá-lo, a cachorrinha tropeçou nas escadas e fraturou os ossos das patas da frente.

Cachorra Teka precisa colocar pinos e passar por cirurgia nas patas da frente (Foto: arquivo pessoal)
Tudo sobre: