EDIÇÃO DIGITAL

Domingo

16 de Junho de 2019

Antigo aterro sanitário de Itanhaém deve se tornar parque de preservação ambiental

Alteração é consequência de assinatura de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Prefeitura e o Ministério Público

O antigo aterro sanitário de Itanhaém deve se tornar, em um futuro próximo, um parque de preservação ambiental. A medida é consequência da assinatura do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre a Prefeitura e o Ministério Público, garantindo a reserva ambiental no espaço, localizado no Parque Vergara.

Segundo a administração municipal, o método de revitalização inclui monitoramento da terra desde que o terreno deixou de receber o lixo de toda a cidade, mais de 80 toneladas diárias, hoje, encaminhado para o aterro sanitário em Mauá, no interior de São Paulo.

A transformação da área, que começou a ser limpa em 2008, em um local de preservação ambiental cumpre exigências técnicas e os prazos estabelecidos pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).