EDIÇÃO DIGITAL

Terça-feira

12 de Novembro de 2019

Estado monta posto de vacinação contra febre amarela para quem viajar ao Litoral Norte

Serviço será implantado no Km 19 da Rodovia dos Tamoios; Saúde destaca importância de ampliar cobertura

Caminho para os motoristas que seguirem parao Litoral Norte neste feriado prolongado da República, a Rodovia Tamoios terá um posto de vacinação contra febre amarela funcionando nesta quarta (14) e quinta (15). O objetivo, segundo a Secretaria de Estado da Educação, é imunizar moradores da região e viajantes ainda não vacinados.

No último dia 6, a pasta divulgou alerta sobre a importância de viajantes em direção à Baixada Santista e Litoral Norte se imunizarem contra a doença.

De acordo com a Secretaria de Saúde, as doses serão aplicadas por profissionais do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de São José dos Campos e dos municípios da região no posto volante, que será instalado no Serviço de Atendimento ao Usuário sentido Caraguatatuba, no Km 19 da rodovia, no dia 14 de novembro, das 13h às 18h, e no dia 15 (Feriado de Proclamação da República), das 8h às 17h. 

A iniciativa será realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Lógica e Transportes, da Concessionária Tamoios e dos  municípios da região do Vale do Paraíba.

Em comunicado, a pasta reforça que portadores de HIV positivo, pacientes com tratamento quimioterápico concluído e transplantados devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina. Grávidas, mulheres amamentando crianças com até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticóides em doses elevadas, como lúpus e artrite reumatoide, não têm indicação para a vacina.

Mas não são apenas viajantes que devem ficar atentos. A orientação também vale para moradores do Litoral Norte, onde a cobertura vacinal é superior a 85%. Todo o território paulista já tem recomendação da vacina, devido à circulação do vírus.

Até agora, mmais de 8 milhões de pessoas já foram vacinadas contra febre amarela em todo o Estado. Segundo a Secretaria de Saúde, no dia 5 de novembro, o Instituto Adolfo Lutz confirmou uma morte por febre amarela na região do Vale do Paraíba: um homem de 26 anos, morador de Cunha, que havia se recusado a tomar a vacina e se infectou numa área rural onde trabalhava, em Caraguatatuba.

Balanço epidemiológico deste ano, até 23 de outubro, aponta 502 casos autóctones de febre amarela silvestre confirmados no Estado e 175 com evolução para morte. 

Do total, 14 ocorreram no Litoral Norte, dos quais 5 evoluíram para óbito – São Sebastião (3 casos com 2 óbitos) e Ubatuba (11 casos com 3 óbitos). Na Baixada, foram quatro casos e três mortes: Guarujá (1 caso com 1 óbito), Itanhaém (1 caso com 1 óbito) e Peruíbe (3 casos com 1 óbito).

Neste ano, 257 macacos tiveram confirmação da doença. A Grande São Paulo concentra metade dos casos e, do total, dois ocorreram na Baixada Santista e 33 casos ocorreram na região do Vale do Paraíba e Litoral Norte.

 

Tudo sobre: