EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Março de 2019

Ademário Oliveira fala em resgatar a autoestima da população de Cubatão

Prefeito comenta sobre dificuldades nos primeiros anos e projeta 'banho de loja' no município na segunda metade de governo

Resgatar a autoestima e devolver Cubatão ao cubatense. É isso que o prefeito Ademário Oliveira (PSDB) buscará ao fim do mandato à frente do Executivo municipal. Na visão do tucano, a cidade foi, nas últimas gestões, "tomada por interesses políticos e partidários, e esqueceram das pessoas".

Para alcançar essas metas, Ademário enxerga, como um dos caminhos, a urbanização. No foco principal, estão duas comunidades: a Vila Esperança e a Vila dos Pescadores.

"Dentro de 20 a 30 dias, devemos assinar a autorização para iniciar a primeira fase da urbanização da Vila Esperança. Nós resgatamos os R$ 38 milhões que viriam do PAC [Programa de Aceleração do Crescimento] e migramos para Infraestrutura. Complementamos com 30% do Casa Paulista. Vamos usar R$ 38 milhões para Infraestrutura, e já temos a autorização da Caixa, com toda a parte burocrática", explica o prefeito, que avalia ser esse o maior projeto de urbanização da história da cidade.

O chefe do Executivo também disse que se reunirá com o secretário do Estado da Habitação, Flavio Amary, para tratar da infraestrutura na Vila dos Pescadores e buscar a reinserção do bairro Pilões dentro do Programa Serra do Mar. 

"O que aconteceu com o Pilões foi um dos maiores crimes sociais da história. A ex-prefeita [Marcia Rosa, do PT] não ter compreendido e se aliado ao Governo do Estado [de São Paulo]. O Pilões estava dentro do Programa Serra do Mar. Ela tirou por birra política", comentou o tucano, que avaliou que, talvez, a comunidade já estaria fora de uma área de risco se ainda estivesse no projeto.

No entanto, Ademário ressaltou que este é um projeto de longo prazo. "Isso é para dez, 15, 20 anos. Mas, se conseguir dar início nesses dois anos, já saio com um legado para toda a história", analisou o chefe do Executivo.

Ademário Oliveira, prefeito de Cubatão (Foto: Carlos Nogueira/AT)

'Banho de loja'

O prefeito cubatense brinca ao dizer que passou os três primeiros meses da gestão em "regime semi-aberto", por ter enfrentado uma série de problemas, como o fechamento do Hospital Municipal, a crise na Companhia Cubatense de Urbanização e Saneamento [Cursan] e o atraso no pagamento de férias dos servidores. Mas, agora, Ademário Oliveira diz que o município receberá um "banho de loja".

A principal área será a Saúde, com a entrega do Poupatempo da Saúde (batizado na gestão anterior de Quadrilátero da Saúde). O complexo contará com o Hospital Municipal, o Pronto Socorro, o Pronto Socorro Infantil e o novo Centro de Oncologia, Hemodiálise e Câmara Hiperbárica. Este último, instalado no prédio destinado a ser um teatro, mas que há décadas estava abandonado.

Segundo o prefeito, as obras estão 90% conclusas, e a expectativa é de que o equipamento seja entregue à população no aniversário do município, no dia 9 de abril. O mesmo prazo se estende, também, para o término das obras da primeira faculdade de Medicina da cidade, na Rua São Paulo, 328, no Centro.

Já a policlínica será transferida para o andar térreo do edifício onde ficava o antigo Cine Castro, na Avenida Pedro José Cardoso, 277, na Vila Paulista.

"Sei que a policlínica se encontra em instalações inadequadas. Assumimos assim, mas não serve como justificativa. Priorizamos, canalizamos todos os esforços para a reabertura do hospital. Sucumbimos contrato de manutenção, de poda. Não tínhamos nada. Contrato zero. Era comum as pessoas brincarem que Cubatão teria que trazer bode para comer capim. Mas, se o cobertor é curto, e tínhamos que priorizar, eu foquei no hospital. Conseguimos com êxito", comentou o tucano.

Outra obra destacada por Ademário Oliveira é o Parque Linear da Beira-Mar, no Jardim Caqueiro. "Vamos revitalizar aquela área, vamos construir três píeres naquela região, na Ilha Caraguatá. Tentar atrair a classe média de volta", finalizou o prefeito.