EDIÇÃO DIGITAL

Quinta-feira

18 de Julho de 2019

Caio França quer critérios técnicos nas vagas da Saúde

Em seu segundo mandato, deputado pelo PSB também atua em questões ambientais

O deputado estadual Caio França (PSB) defende a adoção de critérios técnicos para a destinação de leitos hospitalares públicos pela Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross). Ele aponta para a criação de um pacto entre as nove cidades da região e o estado a fim de reduzir os entraves de operação do atual modelo.

Sob sua coordenação, a Frente Parlamentar em Defesa da Baixada Santista e do Vale do Ribeira tem articulado debates para tentar resolver a questão. “O nosso sistema [Cross] não é tão estruturado quanto o da Capital, e isso faz com que a Baixada tenha uma demora para dar resposta aos pacientes”.

França cobra do estado “mais recursos humanos para melhorar a regulação e com equipamentos mais modernos”. Uma alternativa defendida por ele é retornar a regulação de vagas para a Capital, que conta com mais estrutura.

Em seu segundo mandato no Legislativo paulista, o deputado acredita que uma gestão pública transparente permite à sociedade o melhor antídoto contra a corrupção. É dele a autoria de um projeto de lei que propõe maior fiscalização em abatimento de tributos (desonerações fiscais) concedidos pelo Governo do Estado. A medida ainda tramita na Casa.

O parlamentar diz atuar para incluir no orçamento paulista recursos para combate às enchentes, continuidade do VLT (Veículo Leve sob Trilhos) e reforma da Ponte dos Barreiros.

Temas principais

Líder do PSB, a terceira maior bancada na Alesp, o pessebista adota como prioritários temas como Meio Ambiente, Saúde, qualidade na Educação e mobilidade urbana sustentável.

“Já apresentei 17 projetos de lei e tive um sancionado no início deste ano. O que autoriza advogados autenticarem seus documentos”. Segundo ele, a mudança dá maior agilidade ao Judiciário paulista.

Ele destaca outra proposta: a que restringe a nomeação para cargos comissionados (sem a realização de concurso público) de profissionais enquadrados na Lei Maria da Penha. Presidente da Comissão Permanente de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, França apresentou proposta de Protocolo Lixo Zero, para que a Alesp “tome providências nas práticas sustentáveis, diminuindo os gastos com resíduos sólidos”.

O parlamentar também destaca o empenho de R$ 6 milhões neste ano em emendas parlamentares para ações de infraestrutura e saúde. “São recursos que ajudam a incrementar o orçamento municipal”.