EDIÇÃO DIGITAL

Segunda-feira

18 de Novembro de 2019

Caio Matheus se reúne com ministérios em busca de verbas para Bertioga

Prefeito e secretários estiveram em encontros nas pastas de Desenvolvimento Regional e da Saúde

O prefeito de Bertioga, Caio Matheus (PSDB), esteve esta semana, em Brasília, em busca recursos junto às esferas do Governo Federal. O chefe do Executivo bertioguense realizou encontros nos ministérios de Desenvolvimento Regional e da Saúde. As demandas somariam R$ 201,2 milhões em investimentos na cidade

Matheus foi acompanhado dos secretários de Obras e Habitação, Luiz Carlos Rachid; e de Saúde, Fernando Moreira. Os encontros foram acompanhados pelo deputado federal Marco Bertaiolli (PSD-SP); e pelos chefes de assessoria parlamentar Georgenor Cavalcanti Pinto e Alex Machado Campos, respectivamente, de Desenvolvimento Regional e Saúde.

A comitiva pediu a liberação do “Programa de Manejo de Águas Pluviais – Avançar Cidades Saneamento”, que trata do projeto de obras de macro e microdrenagem dos bairros Rio da Praia e Maitinga. Os recursos para os serviços estão previstos em cerca de R$ 27,5 milhões.

Foi solicitado apoio, também, quanto a liberação de início das obras do projeto “Minha Casa Minha Vida – MCMV Entidades”, com orçamento de cerca de R$ 172 milhões, que prevê a construção de 1.500 unidades habitacionais de interesse social voltado a proporcionar moradia à comunidade carente e de baixa renda do município.

Também esteve na lista de pedidos a liberação de recursos para prosseguimento do convênio de pavimentação e drenagem das ruas Sebastião Barbosa e Dr. José da Costa e Silva Sobrinho, no bairro Indaiá. As obras eram objeto de emenda parlamentar do então deputado Bruno Covas (PSDB, hoje prefeito de São Paulo), e devem melhorar as condições de acessibilidade à comunidade. Os recursos para a continuidade da obra estão previstos em cerca de R$ 1,7 milhão.

No Ministério da Saúde, Caio Matheus buscou autorização para transformar o prédio da UPA da Vista Linda em um Centro de Saúde da Mulher. Outros pedidos foram a habilitação do CAPS (Centro de Atenção Psicossocial I), medida que garante repasses federais para o serviço, hoje mantido pelo Município; e a não municipalização da saúde indígena, atualmente custeado pela União.

Segundo o secretário municipal de Obras e Habitação, Luiz Carlos Rachid, as reivindicações foram prontamente acolhidas. “Os ministérios se comprometeram a empenhar-se junto ao Governo Federal para a liberação em caráter de urgência das solicitações encaminhadas pelo prefeito Caio Matheus”, disse o secretário.

Tudo sobre: