Ariovaldo Feliciano é reeleito provedor da Santa Casa de Santos

Ele era o único candidato inscrito; aconteceu na noite desta terça-feira;

Feliciano diz que vai trabalhar para manter as  finanças do hospital equilibradas (Arquivo/AT)

O provedor da Santa Casa de Santos, Ariovaldo Feliciano, quer transformar a instituição em “hospital modelo” para o restante do País e tem a ambição de zerar a dívida do hospital – estimada atualmente em cerca de R$ 300 milhões. Essas são as principais metas para o próximo biênio à frente da irmandade, que será iniciado em fevereiro.

Na noite desta terça-feira (17), os conselheiros estiveram reunidos no consistório João Baptista Ribeiro e confirmaram a reeleição de Feliciano, o único candidato inscrito para o cargo. 

Por outro lado, houve disputa para definir a sucessão do vice-provedor Helder Cyrillo Guimarães da Silva. O médico será substituído pelo procurador-geral da entidade, Luiz Simões Polaco Filho. 

O nome do advogado teve o aval de 18 conselheiros, enquanto o cirurgião geral e proctologista Alfredo Fernando Vecchiatti Pommella recebeu oito votos. Um dos presentes votou em branco.

Novos serviços

O provedor afirmou que pretender dar continuidade ao trabalho iniciado em fevereiro de 2016 para manter as finanças do hospital equilibradas. Segundo ele, a melhor organização do setor administrativo permitiu cortar despesas e reduzir as dívidas de R$ 400 milhões para cerca de R$ 300 milhões. Além disso, a equipe vem atuando junto ao Ministério da Saúde para receber mais recursos federais. 

“Ainda temos muito o que fazer, porque a Santa Casa estava em uma situação crítica, mas iniciamos um projeto de modernização. Daqui para frente, vamos trabalhar para deixá-la como um hospital modelo para todo o Brasil. Pretendemos investir recursos próprios e fazer parcerias com terceiros para que tenhamos equipamentos modernos e de qualidade”, disse.

Conforme Feliciano, o local passará a fazer mamografias e ganhará um acelerador linear (aparelho utilizado para diversos tratamentos de combate ao câncer).

“O nosso projeto da casa mata (local apropriado para abrigar o acelerador linear) está prestes a ser aprovado pela Prefeitura (de Santos). O dinheiro para a compra já foi liberado pelo Ministério da Saúde e importado por nós. Nossa meta é que ele esteja em funcionamento ainda este ano”, explicou.

Tudo sobre: