Renault inaugura fábrica de injeção de alumínio

Com a inauguração, o Complexo Ayrton Senna passa a abrigar quatro unidades de produção

06/03/2018 - 19:06 - Atualizado em 06/03/2018 - 19:10

No ano em que completa duas décadas de produção no mercado brasileiro, a Renault inaugurou, em São José dos Pinhais (PR) sua unidade de Injeção de Alumínio, resultado de um investimento de R$ 350 milhões. Com a inauguração, o Complexo Ayrton Senna passa a abrigar quatro fábricas. 

Com uma área construída de 14 mil metros quadrados, a Curitiba Injeção de Alumínio (nome oficial da undiade) tem capacidade produtiva anual de 250 mil blocos e 250 mil cabeçotes do motor 1.6 SCe.  A fábrica reúne novas práticas em injeção de alumínio da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi.

A produção do bloco é composta por quatro etapas: fusão, injeção de alta pressão, acabamento e tratamento térmico. Para a fabricação do componente é utilizado um processo de lubrificação moderno, que proporciona uma grande redução do uso de óleo –  22 ml por peça, contra até 12 litros utilizados em métodos de produção tradicionais. 

 

A injeção do alumínio no bloco é feita de forma  robotizada, a uma velocidade de 200 km/h, com pressão de 900 bar. A injetora é em torno de 20% mais compacta e tem produtividade 15% maior que máquinas de geração anterior.

Já a produção do cabeçote é composta de cinco etapas: fusão, sopro de machos de areia, injeção de baixa pressão, acabamento e tratamento térmico. O processo de fabricação é inorgânico, ou seja, isento de fumos e emissões de carbono, o que contribui para a qualidade do ambiente. Também neste processo, a CIA utiliza uma injetora cerca de 30% mais compacta e com produtividade 20% maior que a de equipamentos de outra geração.

 

Os componentes produzidos têm como destino final a Curitiba Motores (CMO), onde são fabricados os propulsores que equipam os veículos da marca.

Veja Mais