Peugeot 5008: carro ou nave?

Em teste mais detalhado verificamos cada item de tecnologia do SUV

06/06/2018 - 17:48 - Atualizado em 06/06/2018 - 18:01

O design chama a atenção, assim como as cores disponíveis. Há quem acredite que, dado o tamanho, um motor mais forte não cairia mal. Mas os que olham para a tecnologia embarcada elegem o 5008 uma das dádivas do mercado brasileiro em 2018. Por isso, não se titubeia quando a Peugeot lhe convida para um novo test drive. E nós aceleramos mais uma vez.

Diferentemente do teste de lançamento, o convite da Peugeot deu a possibilidade de ver com mais tempo todos os detalhes do SUV. E não são poucos, principalmente quando falamos em itens de segurança e tecnologia. 

O 5008 é feito com a base do 3008, lançado há quase um ano, mas tem o diferencial de oferecer sete lugares, além de mais espaço no bagageiro, que tem generosos 237 litros em caso de lotação máxima, mas essa capacidade pula para 780 litros se você optar por cinco ocupantes. E se alguém quiser rebater todos os assentos, deixando apenas dois lugares, serão nada módicos 2.150 litros. 

 

O design lembra bastante o irmão menor e a própria Peugeot não só admite o fato como diz fazer parte de uma estratégia que dá identidade aos modelos da marca. O 5008 tem uma frente bem agressiva, faróis full LED, faróis de neblina (também em LED), bem como as luzes diurnas. As portas traseiras são maiores e a traseira é mais vertical, com colunas menos vistosas e lanternas em LED. A traseira, aliás, com detalhes em preto, proporciona uma grande semelhança com o 3008. E a Peugeot considera essa proximidade justa. 

Lá dentro, o acabamento conta com tecidos exclusivos, bancos em couro com massageador (o 3008 já tinha e falamos nele no texto sobre o teste), teto solar panorâmico, instrumentação digital, multimídia com Android Auto e Car Play e câmera de ré. Um frigobar (sim) de 32 litros entre os bancos é mais uma semelhança com o 3008. 

A versão Griffe Pack adiciona piloto automático adaptativo, leitor de faixa com correção, leitor de placas de sinalização, aviso de ponto cego, visor de 180 graus, faróis com fachos automáticos, sensor de fadiga, frenagem automática de emergência e pintura em dois tons com retrovisores pretos. 

 

Sob o capô

Há quem defenda um propulsor mais forte, mas os testes mostram que o que o 5008 oferece pode, sim, ser suficiente. O motor é o mesmo 1.6 THP abastecido apenas com gasolina e entregando 165 cv a 6.000 rpm e 24,5 kgfm a 1.400 rpm. O câmbio automático tem seis marchas e a tração é dianteira. Nas medidas são 4,64 metros de comprimento com 2,84 metros de entre-eixos.

Na pista

Quando o teste é mais curto e o carro vem dotado de muita tecnologia, torna-se necessário verificar tudo o que ele tem e como acionar cada comando antes de acelerá-lo. Sempre melhor do que tentar achar as funções com o carro em movimento. Só que tivemos mais tempo para destrinchar o 5008 agora do que tivemos quando o modelo foi lançado. E a conclusão foi de que, para concorrer com ele, é necessário um bom investimento em tecnologia.

Mas primeiro vamos falar do 5008 acelerado. Dotado de i-cockpit, o SUV tem lá suas similaridades com o 3008. Isso significa um volante pequeno e que facilita em muito as manobras e uma posição de dirigir que pode ser considerada ideal.

Com o 5008 em movimento, o 1.6 THP segue rigorosamente as doses de aceleração. Não falta nem exagera, a não ser que o condutor ‘force’ o propulsor. Aí não tem jeito: os giros vão lá para cima e o consumo aumenta. Para quem prefere uma condução mais racional, o 5008 ganha velocidade progressivamente se mantém na base da suavidade quando colocado em velocidade de cruzeiro. Você pode optar pelo piloto automático, mas ele saberá dosar a aceleração. Colocou o SUV em um aclive e você irá sentir o motor aumentando o tom. Sem o recurso, retomadas e redução de giros para ultrapassagens acontecem sem dificuldade e as borboletas atrás do volante são bem eficientes.

A tecnologia é o diferencial. Acionamos os principais comandos. O Controle de Velocidade de Cruzeiro (ACC) nos deu a exata noção da distância dos veículos à frente e se havia algum risco de colisão. A uma certa distância uma luz já pisca no painel indicando o perigo e um aviso com letras também vem. O lane assist é outro ponto de destaque. Tente mudar de pista sem dar seta e o 5008 não só mostrará uma luz laranja no painel (do lado que vocë tenta ir) como irá ‘segurar o volante’ e permanecer na faixa original. Claro, se você insistir, ele permite a mudança.

O entretenimento também funciona bem. A compatibilidade com os sistemas do celular auxilia na condução e os acionamentos pelas teclas é bem fácil. Ah, o massageador dos bancos frontais também é um fator positivo no 5008. 

LEIA MAIS

<