Trabalhadores da Codesp iniciam greve de 24 horas no Porto de Santos

Paralisação começou à 0 hora desta segunda. A decisão foi tomada durante assembleia, na noite de domingo

05/03/2018 - 07:15 - Atualizado em 05/03/2018 - 14:56

Categoria em greve se reuniu na porta da presidência da Codesp (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Trabalhadores portuários da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) estão, desde à 0 hora desta segunda-feira (5), em greve. A paralisação deve durar 24 horas. A decisão foi tomada durante assembleia, na noite de domingo (4).

Os trabalhadores, que reclamam da falta de aumento salarial referente ao acordo coletivo de 2017, estão concentrados nesta manhã em frente à entrada da presidência na sede da Codesp.

Segundo o presidente Sindicato dos Empregados na Administração Portuária (Sindaport), Everandy Cirino dos Santos, a adesão dos trabalhadores chegou a 80%. A categoria entrou nesta segunda com dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho, em São Paulo. "A expectativa é que seja marcada uma conciliação, que a Justiça apresente uma proposta aos trabalhadores. Aí futuramente, se tiver alguma novidade, vamos chamar a categoria para avaliar a necessidade de uma nova paralisação, por tempo indeterminado, ou para acatar uma possível decisão (judicial)".

Ainda segundo Santos, a decisão da greve já havia sido aprovada em assembleia no dia 21 de fevereiro e foi tomada porque a ''Codesp não cumpriu o acordo coletivo de trabalho do ano passado, que prevê aumento salarial retroativo a 1 de junho de 2017''.

Conforme o sindicalista, em setembro de 2017, o acordo coletivo foi assinado, ''mas uma cláusula especificava que, após 90 dias, as partes, sindicatos e empresa negociariam o índice para o reajuste salarial a ser pago de forma retroativa. Porém, até hoje, aguardamos que o Governo autorize a Codesp a conceder o aumento salarial”.

Em nota, a Codesp informou "que mantém as negociações sobre as reivindicações. A Companhia respeita as decisões dos trabalhadores e entende que a greve é um direito a ser exercido".

Por volta das 23 horas de domingo, faixa já anunciava a greve que deve durar 24 horas (Foto: Divulgação)

Veja Mais