Auditores fiscais planejam operação-padrão no Porto de Santos

Categoria nacional decidiu, em assembleia, continuar com a greve

29/08/2018 - 10:44 - Atualizado em 29/08/2018 - 10:50

Profissionais que atuam na Alfândega vão adotar modelo
'operação-padrão' de greve (Foto: Irandy Ribas/AT)

Os auditores fiscais da Receita Federal de todo o País mudaram o modelo de paralisação da categoria e adotaram o formato 'Meta Zero' nas delegacias e demais setores de arrecadação e operação-padrão em portos, aeroportos e zonas de fronteiras. A mudança, definida em assembleia no último dia 23, passou a vigorar na terça-feira (28).

A expectativa da categoria na Baixada Santista é a de que, enquanto durar a operação-padrão, ocorra atraso na liberação de cargas na Alfândega no Porto de Santos. Os serviços considerados essenciais continuarão sendo mantidos na Alfândega, como a liberação de medicamentos, insumos hospitalares e animais vivos. Ainda não foi definido quando o modelo será adotado.

Impasse

A greve da categoria, que teve início em novembro de 2017, esteve suspensa entre os dias 5 de julho e 3 de agosto, após tentativa de acordo salarial feito entre a Câmara dos Deputados e o Sindifisco Nacional, sindicato que representa os a categoria, em junho. Como o acordo não foi cumprido, a greve voltou a ser realizada no último dia 6 de agosto.

A mobilização visa a pressionar o governo a cumprir o acordo salarial fechado com a categoria em 2016 e instituído em lei em 2017.

“Consideramos esta alteração no movimento uma mudança estratégica para que possamos traçar quais ações tomaremos no futuro”, diz Renato Tavares, presidente do Sindifisco em Santos.

Veja Mais