Febre amarela: Estado anuncia nova antecipação e campanha começa dia 25 de janeiro

Objetivo, segundo secretário David Uip, é evitar correria aos postos de saúde

18/01/2018 - 13:18 - Atualizado em 18/01/2018 - 13:24

Medo da febre amarela gerou corrida aos postos em busca de vacinação (Foto: Carlos Nogueira/AT)

A Secretaria de Estado da Saúde confirmou, nesta quinta-feira (18), a antecipação do início da campanha de vacinação contra a febre amrela. Agora, a nova data para o início da distribuição das doses fracionadas é 25 de janeiro. A campanha se estenderá até dia 17 de fevereiro.

Inicialmente, a campanha de imunização em 54 municípios paulistas - da Grande São Paulo, do Vale do Paraíba e da Baixada Santista - estava prevista para rolar de 3 a 24 de fevereiro.

Em entrevista à Reportagem na noite de quarta-feira (17), o secretário de Estado da Saúde, David Uip, já havia se manifestado sobre a intenção de antecipar o início da vacinação. 



''Com a nova antecipação, a gente consegue dar, de alguma forma, uma resposta à população, porque as pessoas estão indo se vacinar sem nenhuma razão. Nós estamos tentando fazer tudo que é possível para acalmar a população''. 

Atualmente, só as pessoas que irão para áreas de risco têm recomendação para tomar a vacina. Só que, na prática, o que está acontecendo é uma correria aos postos de saúde, inclusive de quem não viajará. 

Áreas de risco

Na terça-feira, no mesmo dia em que a Organização Mundial da Saúde (OMS) passou a considerar todo o Estado de São Paulo como área de risco, com recomendação de vacina para os viajantes internacionais, o governador Geraldo Alckmin anunciou a antecipação do mutirão para o dia 29 de janeiro. O término da campanha mudou para 17 de fevereiro.

O objetivo da Secretaria de Estado da Saúde é imunizar 8,3 milhões de pessoas durante a campanha, sendo 1,5 milhão na Baixada Santista. O público-alvo é quase toda a população da região, com exceção de quem já tomou a vacina alguma vez na vida e da galera que não tem indicação para imunização: mulheres amamentando crianças com até seis meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico ou radioterápico ou com corticoides em doses elevadas (por exemplo, lúpus e artrite reumatoide).

Para que haja maior cobertura vacinal, o Ministério da Saúde autorizou o fracionamento das doses. Cada frasco de vacina (de 0,5mL) será dividido entre cinco pessoas, sendo que cada uma receberá 0,1mL, quantidade suficiente para garantir proteção por, ao menos, oito anos.

Uma parte do público-alvo, porém, tomará a dose convencional, que imuniza para a vida inteira: crianças com idade entre 9 meses e 2 anos incompletos, pessoas que viajarão para países com exigência da vacina, grávidas residentes em áreas de risco e portadores de doenças crônicas, como diabéticos, cardiopatas e renais crônicos.

A Baixada Santista não tem febre amarela em circulação. O Governo do Estado incluiu as cidades da região na campanha como prevenção, pois o vírus chegará uma hora ou outra por meio da Serra do Mar.

Veja Mais