Morador de São Vicente tem prejuízo de R$ 2 mil após queda de raio

Ele perdeu a televisão e um aparelho de TV a cabo na tempestade da última segunda

31/01/2018 - 11:25 - Atualizado em 31/01/2018 - 11:25

No País, cerca de 50 milhões de descargas são registradas por ano (Foto: Arquivo)

Durante o verão aumenta a incidência de temporais e, principalmente, das descargas elétricas, que trazem riscos para residências e estabelecimentos comerciais. Por ano, cerca de 50 milhões de raios são registrados, colocando o Brasil no ranking entre os países com maior incidência deste fenômeno. 

E se você mora em São Paulo, é importante ficar ainda mais atento, pois a tendência é que, nos próximos anos, o Estado enfrente maior incidência de relâmpagos e trovoadas, conforme dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Somente ano passado, de janeiro a outubro, foram registrados mais de 1,6 milhões de raios, uma média de 5,557 mil descargas atmosféricas por dia.  

Por causa do temporal da última segunda-feira (29), um trabalhador portuário, morador da Vila Cascatinha, em São Vicente, sofreu um prejuízo de mais de R$ 2 mil. Edison Silva Batista, de 54 anos, residente na Rua José Lins do Rego, conta que, por volta das 3 horas, um raio atingiu seu edifício. 

"Só percebi que a TV de 42 polegadas e o aparelho de TV a cabo não estavam funcionando pela manhã. Procurei a CPFL, Procon, Defesa Civil, Bombeiros, mas ninguém me ajudou”, lamentou. 

Segundo ele, o prédio onde reside não possui para-raios, por isso, teme não ser ressarcido. “Meu prejuízo é de mais de R$ 2 mil”, lamenta. 

Ressarcimento 

Esses temporais são a principal causa para as solicitações de ressarcimento por danos elétricos em equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos dos consumidores. E, mesmo nos casos em que o prédio do consumidor não possua para-raios, é possível solicitar o ressarcimento à concessionária de energia elétrica após uma descarga elétrica, explica o advogado Leandro Matsumota, secretário adjunto de governo e responsável pelo Procon de São Vicente. 

“Nestes casos, o consumidor tem até 90 dias para entrar em contato com a concessionária de energia elétrica e formalizar sua queixa, que deve ser respondida em até 10 dias. Caso não consiga uma resposta da concessionária, também pode procurar o Procon”, explica. 

Em São Vicente, a unidade funciona na Rua Frei Gaspar, 384, sala 1, de segunda a sexta-feira, das 9h às 17 horas. É possível ainda contatar o órgão pelo telefone 3579-1365 ou pelo e-mail procon@saovicente.sp.gov.br.  

“Nos casos em que o consumidor relatou o problema à concessionária e não foi respondido dentro do prazo, ele também pode voltar a procurar o Procon”. 

Cuidados 

Para evitar problemas com a queda de raios, a Companhia Piratininga de Força e Luz (CPFL) faz alertas aos moradores, começando pela proteção das instalações elétricas internas e dos aparelhos elétricos de residências, lojas comércios e demais construções. Para isso, conforme a empresa, é necessário fazer o aterramento nas tomadas e instalar equipamentos denominados de DPS – Dispositivo de Proteção contra Surtos.

Segundo a CPFL, dispositivos como filtros de linha, estabilizadores e nobreaks também tendem a atenuar pequenas variações elétricas e picos de energia que chegam até os eletrônicos. Apesar de serem utilizados bastante em computadores, esses aparelhos também são recomendados para outros produtos.

Já a população também pode tomar alguns cuidados durante os temporais, como desligar os aparelhos eletrônicos da tomada no período de raios; nunca utilizar telefone com fio ou aparelho conectado à tomada durante uma forte tempestade; deixar para carregar o smartphone em outro momento e sempre optar por usar o notebook na bateria e pela rede Wi-Fi, dispensando o uso de fios, além de instalar dispositivos de proteção contra surtos e aterrar a rede elétrica da residência ou comércio. 

Cabos telefônicos e de TV por assinatura, além de fiação de antenas são capazes de conduzir a corrente elétrica até os aparelhos. Por isso, também é aconselhável retirar os aparelhos eletrônicos mais sensíveis das conexões com rede de telefonia, TV a cabo e antena externa. 

Veja Mais