Anderson Salles chama São Paulo de carniça e Borja de carnicento

Zagueiro do Novorizontino não aceitou a derrota para o Palmeiras, no sábado, tão facilmente

19/03/2018 - 16:58 - Atualizado em 20/03/2018 - 16:24

Anderson Salles zagueiro do Novorizontino (Foto: Divulgação)

O zagueiro Anderson Salles, do Novorizontino, não aceitou muito bem a derrota para o Palmeiras, por 3 a 0, neste sábado (17), pelas quartas de final do Paulistão. Em áudios do atleta que vazaram, o defensor afirmou que se sua equipe pegasse o Tricolor, haveria equilíbrio no confronto. Ele também chamou o Tricolor do Morumbi de "carniça".

"É tio, nós caímos logo na chave dos cara, né. Mas foi bom o campeonato, foi bom. Na pontuação geral, nós ficamos atrás do Palmeiras e do Corinthians. Ficamos na frente do Santos e São Paulo. Demos azar de pegar o Palmeiras no mata-mata. Se nós pega um São Paulo aí da vida, é de igual pra igual com aquelas com carniça".

Num outro, Anderson Salles falou o colombiano Borja é "carnicento", mas é bom de bola, assim como todo o elenco palmeirense. Confira:

"Esse Borja aí é um carnicento. Mano, toda jogada que os caras lança pra ele, o goleiro pega, ele só vai no corpo dos cara. Não vai nem na bola. Ele não é bobo, não. Tem aquela cara de sonso, mas é rápido. Tem uma hora que da umas loucuras nele. Ontem ele chutou do meio de campo, louco. Os cara do Palmeiras são muito qualificados. Tipo assim: saiu o Borja e entrou o keno. Depois saiu o Lucas Lima e entrou o outro gringo. Time deles é bom pra caramba."

A assessoria do zagueiro se desculpou do ocorrido depois publicando nota. Confira o texto na íntegra:

Em relação ao áudio vazado no aplicativo WhatsApp, assumo que foi eu mesmo quem mandou. Estava conversando com um amigo após o jogo de ontem (17 de março), e comentei sobre nosso adversário.

Garanto que em nenhum momento quis desmerecer o time do São Paulo, como está circulando nas redes sociais.

Realmente, na classificação geral do Campeonato Paulista, nós ficamos em terceiro lugar, na frente de São Paulo e Santos, os ditos grandes do Estado. E, quando me dirigi ao atacante Borja, do Palmeiras, o chamando de “carniça”, não foi no modo pejorativo, tanto que trato assim meus amigos do elenco. O que quis dizer é que é um atacante chato, difícil de enfrentar e que não desiste das jogadas. Caso alguém tenha se sentido ofendido, peço desculpas, mas não foi minha intenção ofender nenhum companheiro de profissão e muito menos algum clube.

Veja Mais