Santos já registra metade da chuva esperada para março, diz Defesa Civil

Até por volta das 10 h, volume de chuva era praticamente metade da média para o mês, de 299,89 mm

08/03/2018 - 08:30 - Atualizado em 08/03/2018 - 16:51

Avenida Nossa Senhora de Fátima registra alagamento nesta quinta-feira (Foto: Rogério Soares/AT) 

A chuva que atingiu a Baixada Santista na tarde e noite de quarta-feira (7) segue provocando transtornos nesta quinta (8). Em Santos, ainda há diversos pontos de alagamento, principalmente na entrada da Cidade. Motoristas que chegam de São Paulo ou que saem do Município conseguem passar, mas com dificuldade.

No Sistema Anchieta-Imigrantes (SAI), o congestionamento, próximo a Santos chegou a 12 quilômetros. Muitas pessoas levaram horas para chegar aos seus locais de trabalho.

Alagamento na entrada de Santos provocou
congestionamento no SAI (Foto: Carlos Nogueira/AT)

De acordo com informações da Ecovias, concessionária que administra o SAI, a Via Anchieta registra ponto de congestionamento no sentido Litoral, entre o Km 34 ao Km 40 por conta dos alagamentos.

Há neblina no trecho de serra e a interligação planalto está bloqueada no sentido São Paulo.

Balanço

De acordo com a Defesa Civil do Município. Por volta das 8h20, já havia chovido mais de 120 mm desde terça-feira (6), quando a média histórica para março, dos últimos 25 anos, é de 299,89 mm. Às 10 horas, o índice havia subido para 148,2 mm.


A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) bloqueou também por completo a pista sentido São Vicente/Santos da Av. Nossa Senhora de Fátima, por onde só veículos pesados (ônibus e caminhões) estavam passando. A rota alternativa para os motoristas é pelo viário dos morros ou pela praia, complexos que apresentam morosidade em razão das chuvas e da demanda maior de veículos. 

No sentido oposto da Nossa Senhora de Fátima (Santos/São Vicente), a pista segue interditada a partir da Avenida Martins Fontes. Esta última via tinha, até o final da manhã, pontos com alagamento, mas sem registro de bloqueio e com trânsito fluindo lentamente.

Em diversos pontos da Cidade ainda há pontos de alagamentos (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Mais chuvas

E a população da Baixada Santista deve continuar atenta: a forte chuva que atinge a região desde a tarde desta quarta-feira (6) vai continuar, pelo menos, até sábado (10), segundo o Instituto Climatempo. 

A previsão da meteorologia para esta sexta-feira é de 80% de probabilidade de pancadas de chuva. Já no sábado é de 90%. Somente no domingo, o tempo fica firme e chove rápido de dia e à noite. 

Na entrada de Santos, há lentidão de veículos em decorrência da chuva (Foto: Carlos Nogueira/AT)

Outras cidades 

A Defesa Civil de Bertioga registrou o índice pluviométrico de 158 mm em 24 horas, ou seja, ao longo de quarta-feira. Nas últimas 72 horas, foram 198 milímetros. Em março de 2017, foram 211 mm. A Cidade está em estado de atenção. 

Em Cubatão, apesar da forte chuva, o Município informou não ter recebido chamados de ocorrências significativas entre a noite de quarta-feira e a manhã desta quinta. Na Cidade, o índice pluviométrico alcançou 80 milímetros nas últimas 24 horas. 


Tanto o Plano Preventivo da Defesa Civil (PPDC), que abrange principalmente o núcleo urbano, como o Plano de Contingência da Serra do Mar, que abrange o setor industrial, estão por isso em situação de observação.

Praia Grande também informou não ter registrado nenhuma ocorrência em razão das chuvas desta quarta e quinta-feira. A sinalização de trânsito da Cidade também não foi afetada.

Em Mongaguá, o acumulado de chuvas nas últimas 24 horas é de 38,74 milímetros. Na Cidade também não foi registrada nenhum tipo de ocorrência.

Em nota, a Prefeitura de Peruíbe informou que chegou a 125 mm o índice pluviométrico na Cidade, apenas na quarta-feira (7). A média esperada no mês de março é de 258,17 mm.

A Prefeitura de São Vicente informou que, por volta das 12 horas, havia pontos de alagamento na Cidade. Ainda segundo a Administração, há lentidão na Linha Amarela (Rua Jacob Emmerich - Caminho dos Barreiros), por conta do excesso de veículos. Até a noite de quarta-feira (7), o índice pluviométrico registrado na Cidade em 72 horas foi de 104,4mm.

A Defesa Civil de Guarujá registrou, nos últimos três dias, acumulado de 95 mm de chuvas, sendo que as regiões mais atingidas foram Vicente de Carvalho e o chamado Rabo do Dragão.

Em algumas regiões, como a dos bairros mais ao lado norte da Ilha, as chuvas ultrapassaram os 100mm e foi registrado um deslizamento de terra no Sítio São Pedro.

Também foram registrados focos de alagamos na noite de quarta-feira (7), mas, na manhã desta quinta (8), não havia mais ruas alagadas na Cidade. A Defesa Civil iniciou vistorias preventivas em áreas de risco para verificar sinais de deslizamento de terra, movimentação de massa, e orientar a população sobre como prevenir acidentes.

A Defesa Civil de Itanhaém não registrou nenhuma ocorrência na noite da última quarta-feira (7). O órgão segue monitorando áreas sujeitas às cheias em dias de fortes chuvas.

Veja Mais