Aluno escorrega em poça de UME em Santos e quebra o fêmur

Menino de 12 anos, que terá que passar por cirurgia, também bateu a cabeça no acidente

21/06/2018 - 12:23 - Atualizado em 21/06/2018 - 12:26

Infiltrações são vistas em teto da UME dos Andradas
que fica na Aparecida, em Santos (Foto: Divulgação)

Um problema crônico na estrutura da Unidade Municipal de Educação (UME) dos Andradas, no bairro da Aparecida, em Santos, provocou um acidente envolvendo um dos estudantes da escola.

Por conta das infiltrações existentes no prédio e do consequente acúmulo de água em alguns pontos, o menino Samuel Eto’o Oliveira de Moura, de 12 anos, escorregou em uma poça, bateu a cabeça e quebrou o fêmur da perna esquerda, na manhã da última terça-feira (19).

O adolescente, que anda com dificuldade por conta de um problema no quadril, sofreu a queda por volta das 9h30, quando caminhava em direção ao refeitório. 

A mãe dele, Ana Cláudia Oliveira da Silva, afirmou que a direção da UME acionou o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para resgatar o filho, que foi levado à Unidade de Pronto Atendimento Central (UPA). 

Na manhã de quarta, a Santa Casa recebeu o paciente. O garoto está sendo acompanhado pela equipe do complexo de saúde e nesta quinta-feira (21) ele deverá ser avaliado por uma equipe para passar por uma cirurgia.

“O Samuel está chorando bastante e nervoso com a situação. Ele está muito incomodado, porque já possui um problema no quadril. Queriam levá-lo de volta para a UPA Central”, disse Ana Cláudia, que é aposentada por invalidez. 

Indignado com a situação, o vereador Fabrício Cardoso (PSB) esteve na quarta-feira (20) na UME dos Andradas e disse que verificou diversos pontos de infiltração na escola.

Trecho do corredor onde aluno escorregou na poça está sinalizado na UME dos Andradas (Foto: Divulgação)

Segundo o parlamentar, por várias vezes os funcionários cobraram providências sobre o problema. Medidas paliativas foram tomadas pelas equipes de manutenção da Administração Municipal, mas o problema sempre volta. Por esse motivo, ele deverá cobrar providências do Executivo na sessão da Câmara desta quinta-feira (21). 

“A Prefeitura deve dar uma maior atenção à manutenção dos prédios públicos e precisa agilizar essas intervenções para evitar novos acidentes com os estudantes e profissionais dessas unidades”, afirmou.

Pequeno acúmulo de água

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Santos informa que "foram prestados todos os atendimentos ao aluno" e que no local do acidente "havia um pequeno acúmulo de água por conta de vazamento na calha". Ainda segundo a Prefeitura, "havia sinalização no local sobre o problema".

O comunicado termina esclarecendo que "o problema do vazamento na calha foi totalmente sanado pelas equipes, além da infiltração nos vestiários da quadra coberta, também resolvida. Os serviços de reparo já estavam agendados pelas equipes de manutenção da Administração Municipal''.

Veja Mais