Um mês e nove jogos de invencibilidade: Santos reencontra Cruzeiro

Time celeste foi o último a vazar a defesa alvinegra; triunfo em Minas deu início a série invicta

21/09/2018 - 07:42 - Atualizado em 21/09/2018 - 15:28

Dia 15 de agosto: aos 12 minutos do primeiro tempo, Thiago Neves abria o placar para o Cruzeiro no jogo contra o Santos, no Mineirão, válido pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. Aquele foi o último gol sofrido pela defesa alvinegra na temporada. 

Além disso, a vitória no tempo normal por 2 a 1 - Santos foi eliminado nos pênaltis, deu início a série invicta de nove jogos do Peixe, sendo oito sem tomar gols, com 5 vitórias (Cruzeiro, Sport, Bahia, Vasco da Gama e Paraná) e 4 empates (Independiente, duas vezes, Grêmio e São Paulo). Um total de 846 minutos.

Contra o Independiente, pela Copa Libertadores, o Peixe empatou sem gols, na Argentina, mas teve o placar alterado para 3 a 0 após punição da Conmebol pela escalação irregular de Carlos Sánchez.

Neste domingo, às 19 horas, o Alvinegro retorna ao Mineirão para encarar o rival. O jogo é válido pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro e vale uma disputa direta pela 7ª posição na competição. No entanto, para Gabriel, a partida tem um cenário diferente daquele enfrentado em agosto.

"É um jogo diferente. Na Copa do Brasil tínhamos que fazer gols e nos atirar, normal abrir espaços. É diferente, mas características podem ser as mesmas e isso ajuda. Vale três pontos, talvez não precise se expor tanto. Algumas coisas podem nos ajudar, principalmente que ganhamos lá. E esperamos ganhar de novo", analisou o artilheiro do Brasileirão, com 12 gols.

Um fator que pode ajudar o Santos é o fato do Cruzeiro estar brigando em três frentes (Brasileirão, Copa do Brasil e Copa Libertadores). Com isso, o técnico celeste, Mano Menezes, deve escalar uma equipe mista, já que a Raposa tem duelo decisivo contra o Palmeiras, na quarta-feira, pela Copa do Brasil. 

Apesar disso, o lateral-direito Victor Ferraz, não espera um jogo mais tranquilo no Mineirão. Ele destacou as qualidades do elenco adversário e pediu concentração ao grupo santista.

"Eu até brinco com Dodô, Daniel Guedes jogou algumas, mas normalmente laterais são pouco lembrados na invencibilidade, mas lateral toma nas costas nos gols. Mérito nunca está com a gente, que posiçãozinha (risos). Equipe do Cruzeiro é rápida, foi bem contra o Atlético-MG. Deve ser alternativa, Mano tem feito isso. Equipe reserva é compatível com a titular se pegar jogador por jogador. Sóbis, Bruno Silva, Ezequiel, Manoel.... Então, exige o mesmo respeito e concentração. Temos estratégia para jogar fora de casa bem estabelecida", disse o lateral, que atuou em sete dos oito jogos de invencibilidade santista.

Peça importante do sistema defensivo, o volante Alison também falou sobre o confronto. O volante é o líder de desarmes e um dos jogadores que mais corre no elenco comandado pelo técnico Cuca.

“Com certeza vamos para este jogo mais confiantes por causa do nosso bom momento. Mas não teremos vida fácil em Belo Horizonte-MG. O Cruzeiro tem um time forte e sabemos das dificuldades que teremos em jogar novamente em sua casa. Mas estamos motivados. Espero que a gente faça mais um excelente jogo e volte para casa com um bom resultado”, comentou o camisa 5.

Veja Mais