Santos tenta anular punição na Copa Libertadores

Conmebol não tem prazo para se manifestar em relação ao pedido do Alvinegro

12/09/2018 - 21:35 - Atualizado em 12/09/2018 - 21:39

Santos foi punido com a perda do jogo por 3 a 0 pela escalação de Sánchez (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Exatamente 15 dias depois de receber a punição da Conmebol pela escalação supostamente irregular de Carlos Sánchez na primeira partida das oitavas de final da  Libertadores, contra o Independiente, na Argentina, o Santos apresentou, nesta quarta-feira (12), o recurso na entidade para anular a punição. Desde o anúncio da penalidade, os representantes jurídicos do Peixe aguardavam a fundamentação da Conmebol, que só foi recebida nesta semana, para entrar com o recurso.

A partir de agora, o corpo jurídico do Santos, composto pelos advogados Rodrigo Gama Monteiro e Mario Bittencourt, aguarda  novo posicionamento da entidade. A Conmebol não tem prazo para se manifestar em relação ao pedido do Peixe. Porém, em tese, por questão ética, teria que responder antes da primeira partida das quartas de final da Libertadores, no próximo dia 18.

Caso a Conmebol não se manifeste até o início da próxima fase da competição, o processo segue em andamento. Porém, se a resposta for dada depois do início das quartas de final e rejeitar o recurso santista, dificulta e atrasa a entrada do clube com uma ação na Corte Arbitral do Esporte (CAS), que é a última instância da Justiça Desportiva mundial.

Se a Conmebol negar o recurso do Santos, os advogados do clube irão pedir audiência de urgência no CAS. Recentemente o presidente  José Carlos Peres disse que quer uma indenização financeira pela eliminação extracampo e vaga direta na próxima edição da Libertadores, independentemente da posição do time ao final do Campeonato Brasileiro.

Veja Mais