Presidente do Santos desabafa e promete tirar responsabilidades do vice

José Carlos Peres se mostrou confiante em relação ao apoio do sócio no caso de impeachment

13/09/2018 - 19:30 - Atualizado em 13/09/2018 - 22:33

Peres garantiu que Rollo só participará do Comitê Gestor do clube (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

Após a apresentação do atacante Felippe Cardoso, de 19 anos, o presidente do Santos, José Carlos Peres, concedeu entrevista coletiva no CT Rei Pelé e desabafou sobre todo o imbróglio político pelo qual o clube passa. O mandatário afirmou que não vê o vice-presidente Orlando Rollo como um inimigo, mas já adiantou que se não sofrer o impeachment na assembleia geral do próximo dia 29 irá tirar todos as responsabilidades dada a ele. 

"Nunca houve racha oficial (entre o presidente e o vice). Houve apenas espetadas. Vocês conhecem outros vices presidentes? Ninguém sabe quem é o vice. Quem governa é o presidente. O vice-presidente tem que ficar no lugar dele. Ele tem que colaborar, só", disse o dirigente. "O que eu vou fazer depois do dia 29 é o que já estou fazendo agora. Após a eleição, ele perguntou o que faria e dei o futebol feminino, os esportes olímpicos e a segurança. Mas já estou fazendo modificações e não vai ter mais nada. Só vai participar do Comitê Gestor. Ele que vai ditar o futuro dele", acrescentou o presidente. 

Peres também se mostrou bastante confiante para a assembleia geral. De acordo com o presidente do Santos, as redes sociais mostram que o associado do clube está do seu lado. 

"As redes sociais falam por si só. Apoiam a presidência. Eles sabem que vim aqui para limpar a casa. Existem dois caminhos para seguir na presidência de um clube: primeiro é relaxar, deixar roubar, ser amigo de todos e encher de funcionários. Se eu fizer isso, serei o melhor presidente da história. O outro caminho é ser o mais odiado da história, mais combatido, mas que vai deixar um outro Santos daqui a dois anos. E é essa a mensagem que eu passo", falou. 

"Mas agora é acreditar primeiro em Deus. O que se faz na terra se paga. Nunca fiz algo assim tão feroz, nunca pedi impeachment. Que o associado reflita e que desaprove o ato de conselheiros. Fui eleito pelos sócios e não pelos conselheiros. Quem manda é o sócio", finalizou o mandatário.

Veja Mais