Lesionados e suspensos voltam e dão opções ao técnico do Santos

Alison e Copete voltam de suspensão; o primeiro citado deve voltar ao time titular

12/02/2018 - 19:13 - Atualizado em 12/02/2018 - 19:26

Alison tem posição garantida no meio-campo do Santos
(Foto: Fernanda Luz/A Tribuna)

O técnico Jair Ventura começa a ganhar opções para escalar o Santos. Com atletas voltando de contusão e de suspensão, ele terá de esquentar a cabeça para formar a dupla de zaga, o meio-campo e o ataque contra o São Caetano, nesta quarta-feira à noite (14), na Vila Belmiro.

Alison e Copete, que estavam suspensos pelo terceiro amarelo, já estão à disposição do treinador. O primeiro deve entrar como primeiro volante na próxima partida.

A dúvida, então, é quem deixa o meio-campo para Alison voltar. Se Jean Mota for sacado, Renato volta à sua posição de origem, como segundo volante e Vecchio atua improvisado como meia.

Já se a opção for dar descanso para o veterano Renato, de 38 anos, Vecchio joga em sua posição de origem, como segundo homem, e Jean Mota fica responsável pela armação.

Existe a possibilidade, ainda, de Vitor Bueno entrar na disputa. Ele está há sete meses sem jogar (rompeu os ligamentos do joelho em julho do ano passado), mas já ficou no banco no último sábado, contra a Ferroviária. Bueno atua mais pelos lados, mas já se candidatou a ser armador do time. 

Mais dúvidas

Já Copete deve mesmo ficar como opção no banco de reservas. É que o trio de ataque do último jogo (Eduardo Sasha, Gabigol e Arthur Gomes) agradou. Outro que volta, mas que ficará como opção da reserva é o atacante Rodrigão.

Ele até começou bem o ano, marcando um golaço contra o Linense, mas depois somou más atuações e até perdeu um pênalti na derrota para o Bragantino, na Vila Belmiro.

A dupla de zaga, por enquanto, tem David Braz e Gustavo Henrique, que também voltou depois de um longo período afastado por causa de uma cirurgia no menisco do joelho.

Em breve, Lucas Veríssimo, titular ano passado, também deve estar à disposição. Ele já faz trabalhos físicos no gramado e, ao que tudo indica, a venda do jogador, de 22 anos, para o Spartak Moscow, por 7,5 milhões de Euros (R$ 30 milhões) melou.

Mais distante

Já o também zagueiro Cléber, que se recupera de uma lesão muscular, ainda faz apenas exercícios na academia. Ele, que voltou de empréstimo do Coritiba, se machucou durante um treinamento e ainda não jogou este ano.

Outro desfalque na zaga é de Luiz Felipe. O atleta teve uma lesão muscular e ainda está no departamento de fisioterapia. O volante Yuri, que quebrou o pé durante um treinamento, está na mesma situação.
Victor Ferraz, com uma luxação no ombro, segue fora, sem previsão de retorno.

O caso mais esperado, sem dúvida, é do atacante Bruno Henrique. O astro do Santos teve uma lesão no olho, na primeira partida do Paulistão, contra o Linense. Daqui a cerca de um mês, ele deve voltar a treinar com bola, mas terá de usar óculos de proteção.

Veja Mais