Fim do Esporte Interativo põe Santos e outros times em alerta

Alvinegro e Palmeiras eram algumas das agremiações que mantinham contrato com o canal esportivo

10/08/2018 - 09:05 - Atualizado em 10/08/2018 - 09:34

Frazão diz que não é possível falar em desdobramentos
(Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O mercado do futebol foi pego de surpresa com o anúncio do fim das atividades do Esporte Interativo (EI). Oito clubes da Série A, incluindo o Santos, haviam assinado contrato de cessão dos direitos de transmissão de seus jogos em TV fechada nas edições de 2019 a 2024 do Campeonato Brasileiro. Agora, eles estudam o que fazer para resguardar seus interesses.

“Ainda é muito prematuro ter uma declaração técnica sobre qualquer questão de contrato. Em termos práticos, temos que aguardar a análise do departamento jurídico”, disse o diretor de marketing do Alvinegro, Marcelo Frazão.

O dirigente lamentou o encerramento das transmissões do EI, pertencente ao grupo norte-americano AT&T, que migrará a programação do futebol nacional e internacional para os canais TNT e Space, ambos dedicados à exibição de filmes e séries.

“A emissora (EI) tinha papel super-importante no mercado do futebol. Era inovadora, pioneira na transmissão de alguns campeonatos e com grande engajamento nas redes sociais”, comentou Frazão.

Em entrevista ao portal Uol, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, cogitou procurar a Justiça. “Se forem confirmadas as informações prévias que a gente tem, somadas aos problemas já identificados anteriormente no contrato, o Bahia vai buscar a rescisão via arbitragem. Tudo isso com as respectivas indenizações, para proteger o patrimônio e a imagem do clube”, comentou Bellintani.

ACORDO EM 2016

Insatisfeito por ter poucos jogos exibidos no Sportv, o Santos assinou com o Esporte Interativo em março de 2016, na gestão do presidente Modesto Roma Júnior – para TV aberta e pay-per-view, os santistas seguem ligados à Globo. 

“O clube reconhece a importância da Globosat nas transmissões do Santos, mas também enxerga, de maneira positiva, esta nova parceria com o Esporte Interativo. É uma definição estratégica da diretoria do Santos”, manifestou-se o clube em nota, à época. 

Pelo acordo, o Alvinegro recebeu luvas de R$ 40 milhões. Outros sete clubes da primeira divisão também fecharam com o EI para terem os jogos do Brasileirão transmitidos a partir de 2019: Atlético-PR, Bahia, Ceará, Coritiba, Internacional, Palmeiras e Paraná.

Em entrevista para A Tribuna, em 18 de fevereiro passado, o presidente do Santos, José Carlos Peres, mostrou-se descontente com o contrato fechado pela antiga gestão. “Houve um redutor na questão da transmissão ao vivo para os times que fecharam com o Esporte Interativo. Vou perder receitas e provavelmente não serão poucas, por não ter assinado tudo com a Globo”, disse.

Em abril passado, os clubes signatários do acordo com o EI ficaram descontentes ao descobrir que, além dos R$ 40 milhões, o Palmeiras assinou contrato extra com o canal, que previa o recebimento de mais R$ 60 milhões. O valor envolveria a transmissão de amistosos internacionais e a base de dados de sócios do clube. Diante disso, os clubes cobravam a revisão dos acordos.

Veja Mais