"Eu sempre vou pedir para ele ficar", diz Peres sobre Rollo

Presidente e vice do Santos tentam demonstrar normalidade em meio às divergências

12/06/2018 - 14:05 - Atualizado em 12/06/2018 - 15:00

Orlando Rollo e José Carlos Peres assumiram a presidência do Santos em janeiro (Foto: Ivan Storti/Santos FC)

O namoro entre José Carlos Peres e Orlando Rollo anda meio estremecido, mas se depender de uma das partes, ele não termina. Presidente e vice vivem, nos bastidores do Santos, uma relação conflituosa. Em público entretanto, os dois tratam de manter as aparências. 

"É uma questão só de ponto de vista, mas a gente não tem nenhuma inimizade. Nunca me desrespeitou. Eu tenho que reconhecer. Ele é educado comigo e eu sou educado com ele. No frigir dos ovos ele está sempre entendendo", disse Peres, com Rollo ao seu lado, ao fim da reunião do Comitê de Gestão, no início da madrugada desta terça-feira (12).

Durante reunião do conselho deliberativo, na última quinta-feira (7), Rollo também falou sobre a relação dos dois. "Muitas vezes me sinto desmotivado. Entretanto, no Exército quem manda é o general. O coronel tem que obedecer o general. No exército em que o coronel quer mandar mais que o general, tem problemas", disse ele.

Quando Modesto Roma foi eleito, em 2014, Peres e Rollo eram candidatos a presidente em chapas diferentes. Na última eleição, eles preferiram unir forças para ganhar a disputa, mas as divergências surgiram logo após a posse da atual diretoria.

O presidente afirmou, ainda, que espera que o vice desista da ideia de pedir afastamento do cargo. Orlando Rollo enviou ao Conselho Deliberativo um documento para saber o que perde em caso de deixar seu cargo. A Tribuna ouviu analistas que disseram que ele não teria direito a continuar como conselheiro.

"Eu sempre vou pedir para ele ficar. Ele foi eleito comigo e a gente tem que estar junto e a gente tem mandato de dois anos e meios. O programa é junto, não é programa meu. Nós temos 11 itens e quase todos já tiveram início", completou.  

Veja Mais